França quer instalar complexo hospitalar na Área Continental de São Vicente

Em entrevista à TV Tribuna, ele também falou em ampliar o VLT para todas as cidades da região

31/08/2018 - 20:47 - Atualizado em 31/08/2018 - 20:55

Ex-prefeito de São Vicente também fala em uso de alta tecnologia para frear a criminalidade (Foto: Nirley Sena/AT)

Universalizar as vagas de creches e o acesso ao Ensino Superior gratuito para os estudantes da rede estadual. Instalar um complexo hospitalar na Área Continental de São Vicente a serviços de saúde, pesquisa e ensino. Ampliar o VLT para todas as cidades da região e adotar alta tecnologia como arma para frear a escalada da criminalidade. Essas são as principais bandeiras do governador Márcio França (PSB), na corrida à reeleição ao Palácio dos Bandeirantes. 

O ex-prefeito de São Vicente foi a quarta, e penúltima, entrevista do Jornal da Tribuna, nesta sexta-feira (31), na série com os cinco mais bem colocados candidatos ao Governo do Estado. França afirma que corrigirá a distorção no repasse de recursos às cidades da região, atualmente em torno de 2% da arrecadação paulista. “Vou destinar o dobro do que qualquer um destinou. É fácil, porque eu sou da Baixada Santista”.

O candidato defende a abertura dos Ambulatórios Médicos de Especialidade (AMEs) nos finais de semana para reduzir a demanda superior a um milhão de pacientes que aguardam exames no Estado. Pelos seus cálculos, a ação custaria R$ 130 milhões e teria capacidade para zerar em seis meses a fila de espera. Na região, ele indica a instalação de uma unidade do programa em Guarujá – a quarta por aqui; já existem em Santos, Praia Grande e São Vicente.

O pleiteante ao Palácio dos Bandeirantes projeta ainda a instalação de um Hospital das Clínicas na área continental vicentina. “É inaceitável uma cidade do porte de São Vicente não contar com nenhum leito (hospitalar) custeado pelo Estado”. Para ele, a localização da futura unidade seria estratégica, já que serviria aos moradores do Litoral Sul e Cubatão, desafogando a rede de saúde santista. 

França afirmou ainda que no próximo ano deve ter início a construção da ligação seca entre Santos e Guarujá. Segundo ele, a obra pode reduzir parte do “drama da travessia de balsas”. E também como passo necessário para ampliar o trajeto do VLT até Vicente de Carvalho e, posteriormente, Bertioga. 

A partir do próximo ano, ele espera oferecer vagas em cursos técnicos e superior, via ensino a distância (EAD) a todos os estudantes paulistas. “Nenhum rapaz, nenhuma moça que se formar no Ensino Médio em São Paulo terá que fazer vestibular”.

Veja Mais