Cerca de 2 milhões de brasileiros devem trabalhar como mesários nas eleições

Conforme dados do TSE, cerca de 50% do total de mesários são voluntários

10/09/2018 - 14:18 - Atualizado em 10/09/2018 - 14:22

Cerca de 2 milhões de pessoas devem atuar como mesários durante o 1º turno das eleições deste ano. A estimativa foi divulgada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), com base em uma norma que determina, no mínimo, quatro mesários por seção eleitoral. Conforme dados do TSE, cerca de 50% do total de mesários são voluntários. Outras 7 mil pessoas devem participar do pleito no exterior. Esses eleitores poderão votar apenas para presidente.  

Conforme o TSE, o número exato de mesários só deve ser oficializado após o 1ºturno das eleições. No pleito de 2014, o órgão estimou em 2,4 milhões o número de pessoas atuando como mesários. Já em 2010, o número divulgado foi de 2,1 milhões. 

Para ser mesário, o eleitor precisa completar 18 anos até o 1º turno das eleições e deve estar em situação regular com a Justiça Eleitoral, com exceção dos candidatos e seus parentes consanguíneos e por afinidade até segundo grau. Também não podem ser mesários os integrantes dos diretórios de partidos que exerçam função executiva, os policiais, os funcionários com cargos de confiança do Executivo e os integrantes do serviço eleitoral. 

As mesas são formadas por presidente, primeiro e segundo mesários, dois secretários e um suplente. Cabe aos membros das mesas receptoras organizar os trabalhos das seções eleitorais do início da votação (8h) até o encerramento (17h). Eles recebem o eleitor, colhem e conferem a assinatura e liberam a urna para o voto. Na seção eleitoral, o presidente é a autoridade máxima, responsável pelo sigilo do voto de cada eleitor e pela tranquilidade da votação, além de zelar pela segurança da urna eletrônica durante todo o processo. 

Veja Mais