Petrobras reduz preço da gasolina, mas mantém valor do diesel

Em três dias, o preço da gasolina já acumula queda de 3,39%; diesel continua a R$ 2,1016 o litro

24/05/2018 - 11:49 - Atualizado em 24/05/2018 - 11:54

Apesar da redução no valor, combustível acumula alta de 12,14% em maio (Foto: Vanessa Rodrigues/AT)

A Petrobras anunciou nesta quinta-feira (24) a terceira redução consecutiva do preço da gasolina. A partir desta sexta, o litro do combustível passará a custar R$ 2,016 nas refinarias da estatal, uma queda de 0,72% em relação ao preço atual (R$ 2,0306).

Em três dias, o preço da gasolina acumula queda de 3,39%. Apesar disso, o combustível acumula alta de 12,14% em maio.

O diesel manteve o preço de R$ 2,1016 por litro. Na quarta(23), a Petrobras reduziu o valor do combustível em 10% nos próximos 15 dias, devido à greve dos caminhoneiros. 

Motoristas de caminhão fazem manifestações em todo o País desde o final da noite de domingo (20) devido ao alto custo do diesel.

Governo cogita cortar impostos 

Em audiência pública na Câmara Federal, na última quarta-feira, o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, disse que o Governo cogita reduzir parte dos impostos sobre os combustíveis. O encontro atendeu pedido da Federação Nacional do Comércio de Combustíveis e de Lubrificantes (Fecombustíveis).

“O Governo verificou ser urgente resolver o problema e evitar que a paralisação avance mais uma semana”, afirma o presidente da Comissão de Minas e Energia, deputado federal Marcelo Squassoni (PRB-SP).

Segundo ele, o corte está condicionado às contas públicas. “Todos os ministérios vão fazer cálculos e ver o que pode ser reduzido no orçamento. (A reunião) Foi um choque de realidade sobre a situação insustentável que (a paralisação) tem provocado na economia nacional”, continua o político, com base eleitoral em Guarujá.

A Fecombustíveis calcula que até metade do preço nas bombas é em tributos estaduais e federais.

“O dono do posto não tem interesse em manter os preços elevados. Isso faz cair o número de clientes”, comenta o presidente do Resan, José Camargo Hernandes.

Desde julho, a Petrobras reajusta preços com base na cotação internacional do barril de petróleo. No período, o Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE) calcula que o diesel teve valorização de 56,5%, e a gasolina, 50,04%. (EB)

Veja Mais