Quer economizar nas compras do supermercado? Veja dicas de especialista

Cuidados começam com a elaboração daquela boa lista de produtos necessários

11/09/2018 - 08:31 - Atualizado em 11/09/2018 - 10:38

Ir ao mercado somente quando for necessário é uma das dicas para economizar (Foto: Rogério Soares/AT)

Apesar da baixa de 1,05% no preço após um mês, a cesta básica da cidade de São Paulo foi a mais cara entre a das 20 capitais brasileiras pesquisadas pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) em agosto. Para o consumidor, seja do alto da Serra do Mar ou da Baixada Santista, economizar é a única solução. Por isso, especialistas ensinam como entrar no mercado sem sair no vermelho.

De acordo com o levantamento do Dieese, o trabalhador paulistano que ganha um salário mínimo precisou trabalhar, em média, 12 dias para fazer a compra do último mês, que custou R$ 432,81. Quando se compara esse custo com o salário mínimo líquido, após o desconto da Previdência Social, significa dizer que a cesta custou 49,31% do recebido.

Assim, entre as orientações dos especialistas na hora de economizar nas compras, está, em primeiro lugar, tomar cuidado com o dinheiro. Quem avisa é o Serasa Ensina, braço de educação financeira da empresa Serasa Experian que analisa dados do crédito. “Quando for ao supermercado, faça sempre uma lista com tudo que verdadeiramente necessita e não fuja disso”, destaca o órgão.

Jorge Manuel de Souza Ferreira, economista e professor da Universidade Santa Cecília (Unisanta), menciona que outra dica é evitar compras por impulso – o que inclui não ir ao mercado com fome ou com crianças.

Sobre o que é melhor – compras pequenas ou mensais –, Ferreira explica: “Antes, quando tínhamos inflação muito elevada, se justificava a pessoa ir ao mercado e usar o salário que tinha acabado de receber, pois compraria tudo mais barato do que no dia seguinte”.

Agora, para evitar que constantes idas ao mercado pesem na hora de abastecer o veículo, o economista recomenda. “Já que precisamos comprar hortifrútis semanalmente, que tal juntar o que é necessário, fazendo aquisições menores?”.

Ednaldo Leite dos Santos, docente da área de Gestão e Negócios do Senac Santos, destaca, porém, que antes de se optar por uma compra mensal ou fracionada é preciso lembrar que diversas idas ao mercado também deixam o cliente atualizado sobre os preços – um trunfo.

“O consumidor que tem como perfil a compra mensal normalmente ganha descontos adquirindo dois ou mais itens de determinado produto. Entretanto, acaba, muitas vezes, levando os que ficarão um bom tempo na despensa e perdendo promoções”, lembra.

A cesta básica

Os produtos da cesta básica verificadas pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) foram definidos pelo Decreto-Lei 399, de 1938, ainda vigente. Respeitando a diversidade do País, há três formatos de cestas. No Estado de São Paulo, a cesta básica contém carne (6 kg), leite (7,5 l), feijão (4,5 kg), arroz (3 kg), farinha (1,5 kg), batata (6 kg), legumes (9 kg de tomate, uma fruta), pão francês (6 kg), pó de café (600 g), frutas (90 unidades de banana), açúcar (3 kg), óleo (750 g) e manteiga (750 g).

Onde comprar

Nem sempre a melhor compra de carne é feita no açougue, nem a de hortaliças, na feira. Há tantas promoções em determinados dias da semana, além de aplicativos e programas de pontos que garantem descontos que, segundo especialistas, é preciso pesquisar antes de decidir onde comprar.

“Geralmente, casas especializadas acabam tendo maiores descontos e ofertas do que em supermercados. No entanto, a concorrência sempre é grande, levando grandes lojas de varejos a competirem com preços tão vantajosos quanto os dos estabelecimentos especializados”, diz Ednaldo dos Santos.

Para quem usa aplicativos (apps) de descontos. o docente do Senac adverte que esses programas de celular podem, se houver exagero, se tornar vilões da economia. “Cada vez mais famosos, os aplicativos têm substituído os famosos folhetos de ofertas. Eles são muito bem-vindos quando o consumidor sabe o que quer comprar e tem disciplina. Mas, novamente, a dica é fazer uma lista antes das compras, para não perder o foco readquirir o que não estava planejado”.

LEIA MAIS

<