Pesquisa aponta qualidade dos genéricos após 18 anos no mercado

Preço baixo e ausência de risco atrai consumidor, segundo a Febrafar

10/07/2018 - 15:38 - Atualizado em 10/07/2018 - 17:03

O primeiro registro de medicamento genérico no Brasil completou 18 anos. Segundo o Instituto Febrafar de Pesquisa, para avaliar a confiabilidade desses produtos, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) concluiu que sua comercialização têm alto índice de aprovação em análises feitas para atestar qualidade e segurança dos produtos. 

A Febrafar é a Federação Brasileira das Redes Associativistas e Independentes de Farmácias.

De um total de 284 lotes analisados em 2016 e no ano passado, 85,9% estavam em conformidade com informações do fabricante e de acordo com exigências técnicas, conforme a pesquisa. 

No levantamento, a quantidade de lotes genéricos selecionados para testes no período representou 61,4% do total avaliado (462).

Seguro e barato

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a atratividade para o consumidor dos genéricos é a possibilidade de aliar economia com ausência de riscos. 

É o que buscou a pesquisa Análise do Perfil de Compra dos Shoppers em Farmácias - 2018, realizada pelo Instituto Febrafar de Pesquisa e Educação Continuada (Ifepec), em parceria com a Unicamp e com o Instituto Axxus. 

Segundo o levantamento, 45% dos consumidores adquiriram medicamentos predominantemente genéricos e os 55% preferiram os de marcas. “Os genéricos já venceram uma desconfiança inicial e natural”, diz o presidente da Febrafar, Edison Tamascia.

Veja Mais