'Winchester' é terror sobre maldição da vida real

Longa conta história de uma mansão assombrada por espíritos de vítimas de armas de fogo

01/03/2018 - 09:57 - Atualizado em 01/03/2018 - 10:48

Helen Mirren como a perturbada herdeira da fábrica de rifles Winchester (Foto: divulgação)

É difícil entender por que a ilustre Helen Mirren foi até a Austrália para participar deste projeto ambicioso, mas que já foi filmado anteriormente, para o longa "Sobrenatural", 2005, com os personagens de Sam e Dean Winchester, ou seja, descendentes dos criadores da famosa marca de fuzil no Velho Oeste americano! 

O papel dela é medíocre, sem grandes chances de aparecer, até porque a atriz passa grande parte do filme com véus no rosto. O filme é baseado em fatos reais, e os letreiros no final mostram uma foto muito feia da senhora original, revelando (pequeno spoiler) que ela foi vítima, depois, de outra tragédia: o famoso terremoto em San Francisco (do qual saiu ilesa!). 

De qualquer forma, não consigo recomendar o filme, que é mal dirigido pelos irmãos Michael e Peter Spierig que, apesar disso, vieram de uma carreira curiosa. Dirigiram antes "O Predestinado", 2014; o recente "Jogos Mortais – Jigsaw", 2017; "O Ano da Extinção"; e outro de que nunca ouvi falar, "Os Canibais" (2003). 

Enfim, eles não são grande coisa, o que fica claro na mansão que eles levantaram para passar como uma casa imensa e antiga, do começo do século passado, e que a dona Sarah Winchester vivia ampliando por razões misteriosas.

O filme mostra que ela era herdeira do império, justamente, da fábrica de armas Winchester e que, no fundo, está tentando ajudar seu herdeiro e a mãe dele, porque tem certeza que há fantasmas, seus inimigos, que desejam matá-la. Na verdade, os fantasmas seriam espíritos de pessoas vitimadas pelos rifles fabricados pela família Winchester.




Mansão fake

Infelizmente, a criação da mansão é de gosto duvidoso, pois tudo parece artificial e fake. Não ajuda nada chamar como galã o australiano Jason Clarke, de "Everest", "A Hora mais Escura", "O Confronto do Planeta dos Macacos" e o atual "Mudbound". 

O australiano Jason Clarke (ao lado de Helen Mirren) não convence como herói (Foto: divulgação)

Ele é um impassível canastrão na pele de um médico traumatizado pela perda da esposa (a cena da crise é igualmente horrorosa). Na verdade a única coisa menos ruim do filme é Eamon Farran, que faz um fantasma do passado. 

Helen faz o que pode, mas o filme não é nada assustador e, no fundo, faz propaganda das armas de fogo. O que é um absurdo cada vez que se pensa no uso indiscriminado delas, tanto no Brasil quanto nas escolas americanas. Se os fantasmas pudessem se vingar até que a gente entenderia!

A MALDIÇÃO DA CASA WINCHESTER ("Winchester") Austrália, 18. Direção dos Irmãos Spierig (de origem alemã, Michael Spierig e Peter Spierig) 1h39 min. Paris Filmes. Com Helen Mirren, Sarah Snook, Finn Scicluna –O ´Prey, Jason Clarke, Emm Wiseman, Tyler Coppin, Eamon Farren (o fantasma). Cotação dois. 

Cinesystem PG, Cinemark Praiamar, Roxy Cubatão, Roxy Gonzaga

Veja Mais