Saulo Pessato surpreende com poesia erótica em livro

Formado em Letras, autor lança compilação de poemas no divertido 'Verso Entre Virilhas'

06/03/2018 - 11:43 - Atualizado em 06/03/2018 - 12:05

O autor não usa linguagem chula nem objetifica corpos (Foto: Thiago Marinello/Divulgação)

A poesia ainda encontra espaço no cotidiano das pessoas? Alguém aí vai a uma livraria procurar um livro de poesia sobre o qual leu no jornal? E a poesia erótica? Você conhece, já leu ou lê? São muitas as perguntas, mas o fato é que, encontrando ou não o público, os poetas continuam pululando por aí e eles precisam escrever!

Novidade é o autor Saulo Pessato, graduado em Letras pela PUC-Campinas e professor de Literatura e Gramática, lançar no mercado editorial o inusitado livro de poemas "Verso Entre Virilhas", da também nova Editora Laranja Original.

É o segundo livro do autor, que já publicou "Jardim das Borboletas", em 2016, resultado de uma ação nas redes sociais chamada "Poesia Reclamada", que já tem 500 mil seguidores. 

Em "Verso Entre Virilhas" (que custa R$ 35,00), Pessato reúne, em 200 páginas, versos de diferentes formatos e em tom bem-humorado, divididos em capítulos que reproduzem as fases da cópula ("Preliminares", "Sexo oral", "Humor" etc.).

Capa do livro Verso Entre Virilhas, que tem ilustração 
de Libero Malavoglia (Foto: reprodução)

O poeta explora estruturas e ritmos conhecidos da literatura tradicional, combinados a novas possibilidades estilísticas. Não teme tabus ao falar de sexo, seja indireta e sutilmente, seja abertamente e sem filtros vocabulares, como observa o orelhista Guilherme Aniceto, que afirma tratar-se de “um livro para quem gosta de poesia, para quem gosta de sexo e, mais que isso, para quem gosta de tudo ao mesmo tempo”. 

Guilherme continua: “O poeta explora os caminhos do verso, nas curvas mais sinuosas e nas posições mais inusitadas, por meio de gracejos com a língua (a Portuguesa também), do uso de termos considerados chulos e de flertes com a diversidade sexual. Ademais, Pessato não se prende ao erotismo misógino, arraigado na sociedade brasileira, que objetifica corpos e condena a busca pelo prazer”. 

Desse modo, o autor une-se a Manuel Bandeira, a quem faz homenagem ao reproduzir, na epígrafe do livro, o picante poema "A Cópula" (cujos versos são irreproduzíveis) e ao poeta marginal Glauco Mattoso, que também possui uma reconhecida produção de versos que vão do erótico ao pornográfico. 

Com mais de 20 títulos catalogados, a Editora Laranja Original destaca-se pela publicação de poesia, mas traz em seu acervo outros gêneros: de ficção a livros de fotografia.

Trechos:

“Lua deitada:

mordo-lhe a nuca,

me sinto crescente”

...

“Quando a festa do

amor começar

usarei tuas pernas

como um colar”

Outros lançamentos:

A artista plástica Gabriela Brioschi conta sua trajetória em livro (Foto: Gabi Dourado)

Feminino por Natureza

Gabriela Brioschi

Nesse livro, a artista plástica Gabriela Brioschi recupera sua trajetória profissional desde a década de 1980, e propõe releituras e reflexões sobre a história da arte. O destaque de seu trabalho está na combinação entre texto e imagem, pautada pela sensibilidade afetiva feminina. “As nuances da minha identidade são também as referências do meu trabalho: a infância nos anos 1960, quando pontos importantes da agenda feminista foram conquistados; a profissão de artista e o trabalho fora de casa; assuntos íntimos e domésticos. O lançamento será no Dia Internacional da Mulher, quinta-feira (8), a partir das 19 horas, na Livraria Martins Fontes (Avenida Paulista, 509, São Paulo). Editora Laranja Original. O preço é R$ 45,00.

Capa do primeiro romance de Krishna Monteiro
(Foto: reprodução)

O Mal de Lázaro

Krishna Monteiro

Uma fábula sobre dor, sofrimento e redenção. Assim é este primeiro romance de Krishna Monteiro. Inspirada por Carlos Drummond de Andrade e seu poema "A Máquina do Mundo", o autor conta a história de Lázaro, um homem de alma sensível que, por falta de escolha, trabalha num matadouro. Perturbado por terríveis visões, ele transforma a dor que causa aos animais em obras de arte. Usa carvão e pigmentos para retratar os rebanhos que ajuda a matar e a pequena cidade em que habita, desde a arquitetura aos moradores de traços ásperos. Porém, a forma mística de Lázaro expressar suas visões internas acaba por causar revolta na população, que o persegue. Editora Tordesilhas, 176 págs., R$ 33,00. 

Veja Mais