Sandra Belê canta a força das mulheres e tradições nordestinas

Nascida em Zabelê, na região do Cariri Paraibano, a cantora se apresenta quinta, nos Sesc Santos

07/03/2018 - 10:04 - Atualizado em 07/03/2018 - 10:13

Aos 37 anos, a cantora vai se mudar de João Pessoa para São Paulo (Foto: Asley Ravel/Divulgação)

A voz de Sandra Belê alinha e entrelaça temas e ritmos dos rincões do Nordeste, num bordado único e delicado. Herdeira e defensora da tradição do forró nas festas juninas, ela tem viajado o Estado de São Paulo com o cancioneiro típico da região do Cariri Paraibano, e desembarca em Santos.

Sandra canta, nesta quinta-feira (8), no Dia Internacional das Mulheres, às 21 horas, no show "Rendar", na Comedoria do Sesc. O nome da apresentação faz referência à beleza da renda Renascença, um dos maiores símbolos culturais da sua terra – a artista é filha de mãe rendeira, dona Ivete, que costura detalhes dos figurinos e acessórios que a filha usa nos shows.

Esta é a segunda vez que Sandra canta no Sesc Santos. Ela já esteve em 2015, também em março, com outro show e formação. Neste, estará acompanha de Pablo Moura (sanfona), Abner Brasil (zabumba) e Willian Delmondes (percussão). No repertório, um misto de forró, xote, coco, baião e carimbó.

Nascida na cidade de Zabelê, com pouco mais de 2 mil habitantes, Sandra carrega a força das mulheres nordestinas e usa sua voz e representatividade para homenagear todas as mulheres: “Eu busco falar sobre e para as mulheres. Prefiro aproveitar a visibilidade que tenho para reivindicar melhorias para a nossa vida e reconhecimento do nosso valor, principalmente no forró, que é majoritariamente feito por homens”.

Aos 37 anos, Sandra saiu de Zabelê há uma década. Mora na capital de seu estado, João Pessoa, mas deve se mudar para São Paulo ainda no segundo semestre. “Para nós, artistas, é fundamental essa mudança, porque todo mundo quer tentar vencer nessa cidade e mostrar seu trabalho para todo o País. Um dia, o mar me chama de volta”, espera ela. 



Depois de Santos, a cantora se apresenta no Sesc Santo Amaro, na Capital, e na casa Remelexo Brasil, reduto de forró no bairro Pinheiros. “Em São Paulo tem muitos eventos de forró, mas o público associa o gênero mais à dança do que à música”, observa ela, que, em Santos, vai cantar composições de Chico César, Zé Ramalho, Chico Buarque, Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, Dominguinhos e Anastácia.

Em outro projeto do qual faz parte com mais três cantoras, chamado Forró das Comadres, Sandra interpreta somente compositoras de forró ou composições que se eternizaram nas vozes de mulheres.

Pai sanfoneiro

Sandra descobriu-se cantora ainda na cidade natal, após participar de uma brincadeira na escola, de fazer paródias. “Eu tinha uns 8 anos e seguia meu pai (Pedro Mucuri), que era sanfoneiro, para tudo quanto é canto. Na adolescência, a prefeitura da minha cidade ofereceu cursos de música e eu escolhi fazer canto. Por isso, cantar é uma maneira de homenagear meu pai, que já não está entre nós”, revela a cantora.

Serviço: Rua Conselheiro Ribas, 136, Aparecida. Ingressos: R$ 20,00 (inteira), R$ 10,00 (meia) e R$ 6,00 (credencial plena no Sesc) 

Veja Mais