Renata Sorrah mostra a sua versatilidade em sete personagens

Atriz está na peça "Esta Criança", com ingressos esgotados, neste sábado, no Sesc Santos

12/08/2017 - 10:41 - Atualizado em 12/08/2017 - 11:20

Renata conta que a leitura do texto de Joël Pommerat emocionou todo o elenco (Foto: Divulgação)

A dramaturgia europeia sempre esteve presente na carreira da atriz Renata Sorrah. Ao longo de sua premiada trajetória nos palcos, a carioca atuou e produziu espetáculos marcantes como "Grande e Pequeno", do alemão Botho Strauss (1985), "Um dia, no verão", do norueguês Jon Fosse (2007), "Afinal... Uma Mulher de Negócios" (1977) e "As Lágrimas Amargas de Petra Von Kant" (1982), do alemão Rainer Werner Fassbinder. Isso só para citar alguns dos mais aclamados.

Em Santos, ela apresenta a elogiada "Esta Criança", obra criada a partir do texto do francês Joël Pommerat. A apresentação acontece hoje, às 20h, no Teatro do Sesc, mas está com ingressos esgotados. 

Em entrevista para A Tribuna, Renata afirma não ter nenhuma restrição aos textos de autores de outros continentes. Acredita que não há uma ligação exclusiva com os dramaturgos do Velho Continente. 

“É uma ligação com o bom teatro, com os bons textos. Fiz textos brasileiros também. O último que fiz com a Companhia Brasileira de Teatro, "Krum", é do israelense Hanoch Levin. E agora estamos em um processo de algo novo para mim, que é escrever uma peça a partir de ensaios com o Márcio Abreu e a Grace Passô. Eles vão fazer um texto”, comenta.

Em cartaz desde 2012, "Esta Criança" marca o início da parceria entre a atriz e a Companhia Brasileira de Teatro, do dramaturgo e diretor Márcio Abreu. 

“Tinha visto uma peça deles no Rio, "Vida" (2010), que me deixou completamente apaixonada pelo grupo, a direção do Márcio, o texto. E, logo depois, fizemos um plano de fazer algo juntos. Começou um namoro, conversávamos, líamos textos juntos. E chegamos ao texto desse dramaturgo francês contemporâneo, o Joël Pommerat. Me lembro muito bem quando fizemos a primeira leitura do texto. Terminou e ficou um silêncio absoluto entre a gente. Foi algo que bateu na hora. Não tínhamos como não trabalharmos esse texto”.

"Esta Criança" conta com dez cenas que mostram uma sequência de momentos de intensidade na relação entre pais e filhos. Constrangedoras, engraçadas, tristes e estranhas, as situações de morte, nascimento, adoção, abandono, agressão e desabafo permeiam o espetáculo. “É uma peça que toca muito o público. Porque se você não é pai, você é filho. Em algum momento aquilo te toca profundamente. É inevitável, um texto muito lindo, sensível”.

No palco, Renata divide 22 personagens com outros três atores: Giovana Soar, Ranieri Gonzalez e Edson Rocha. “Eu faço sete deles, algumas mães, uma criança de 7 anos”, comenta Renata sobre o espetáculo, que percorreu várias unidades dos Centros Educacionais Unificados (CEU) de São Paulo.

Volta para a TV

Longe da TV desde o fim da novela "A Regra do Jogo" (2015), Renata Sorrah retornará ao núcleo de teledramaturgia da Rede Globo em 2018, quando fará uma personagem em "O Sétimo Guardião", nova produção de Aguinaldo Silva, que será exibida na faixa das 21h. 

Em entrevistas recentes, o dramaturgo chegou a afirmar que pretende resgatar uma personagem de sucesso de Renata, a Nazaré, da "Senhora do Destino" (2004), que está sendo reexibida pela Rede Globo no "Vale a Pena Ver de Novo".

Os planos da atriz ainda incluem uma minissérie, sobre a qual ela não pode dar mais detalhes. Mas com novela ou minissérie, uma coisa é certa: o teatro seguirá presente. “Teatro sempre em primeiro lugar. Eu quis ser atriz por causa do teatro. Pra qualquer ator, o teatro é o início de tudo. TV também é prazeroso, mas prefiro o teatro”.

Veja Mais