Pato Banton reencontra banda Afrodizia, de Itanhaém

Estrela do reggae mundial faz show em São Paulo e soltou uma tartaruga-verde no mar

01/12/2017 - 09:34 - Atualizado em 01/12/2017 - 09:56

Integrantes do Afrodizia com Pato Banton e sua mulher, Antoinete (Foto: Claudio Vitor Vaz/AT)

Há 35 anos espalhando vibrações positivas ao redor do mundo, a estrela do reggae Pato Banton está em Itanhaém, no Litoral Sul. Natural de Birmingham, na Inglaterra, ele mora em Los Angeles, nos Estados Unidos, e veio ao Brasil a convite da banda Afrodizia, com a qual se apresenta, nesta sexta (1º), às 21h30, na Comedoria do Sesc Belenzinho, em São Paulo.

Esta é a segunda vez de Banton em Itanhaém. A primeira foi em 2014, quando se apresentou no festival Regado a Reggae, organizado pelos músicos da Afrodizia, com apoio da prefeitura local. Na ocasião, ele participou da gravação de uma música da banda, "Pé na Estrada, Fé na Vida", e do clipe dela, rodado na cidade. 

Agora, o artista deu numa pausa na turnê mundial para marcar presença no lançamento do CD "Reggaelização", dos amigos da Afrodizia, no qual ele participa com "Pé na Estrada, Fé na Vida".

Na manhã desta quinta (30), o artista fez parte de outro lançamento: “Eu tive uma oportunidade maravilhosa de devolver uma tartaruga ao mar”, comemorou ele, em entrevista para A Tribuna. A ação foi realizada pelo Instituto Gremar.

Veja o vídeo:

Banton estava acompanhado dos amigos da Afrodizia e da mulher, a backing vocal, tecladista e empresária Antoinette. Ela já tocou com grandes lendas do reggae, como Gregory Isaacs e Maxi Priest.

O cantor contou que conheceu a Afrodizia em 2014, pelo Facebook. “Eles me perguntaram se eu gostaria de gravar um álbum com eles, chamado 'Reggaelização' e eu respondi que sim, que adoraria. E eu tive a honra de participar do disco, que traz a participação de artistas de reggae de outras partes do mundo, como Jamaica, França, África”.

Esta é sua 15ª vez no Brasil ou mais. “Eu amo a música, a comida e o clima desse país, assim como o reggae brasileiro, que está evoluindo a cada ano, com novos artistas muito talentosos. Aliás, o reggae mundial não para de evoluir. A música rasta reggae está em toda parte, inclusive Japão, Coreia do Sul, Filipinas e países da América e Europa”, dispara o artista.

Para ele, compor e cantar reggae faz parte da sua missão de espalhar boas vibrações: “Tem muita gente sofrendo ao redor do mundo. Muita corrupção e problemas políticos, assim como no Brasil. É importante espalhar vibrações positivas por meio da música, para manter as pessoas com uma boa atitude mental”, declarou. 

Banton acaba de voltar da Jamaica, onde lançou dois álbuns, "The Words of Rastafari" e "The Love is Greatest", pela gravadora de reggae mundial Tuff Gong.

No show no Sesc Belenzinho, hoje, ele vai dividir o palco com a Afrodizia, entrando na segunda parte da apresentação, para cantar sucessos como "Never Give In", "Go Pato" e "Stay Positive", e novas canções. No final, ele cantará a música que ajudou a compor, "Pé na Estrada, Fé na Vida" com a banda de Itanhaém. 

Movimento

Formada em Maringá, no Paraná, a Afrodizia se radicou em Itanhaém em 2001, para estar próxima de São Paulo e espalhar seu som e sua mensagem. Com 17 anos de estrada e raiz no reggae jamaicano, a banda traz elementos da música brasileira e também faz sucesso no exterior, onde já tocou na edição histórica de 50 anos do Festival de Jazz de Montreux, na Suíça. “Foi um sonho. No refeitório do festival, após o show, jantamos ao lado de toda a equipe do Quincy Jones”, lembra o baterista Tony Sheen.

A banda tem três discos nacionais. "Todas as Tribos" (1999), "Mutação" (2004) e "Reggaelização" (2015-2017) e dois álbuns internacionais, "Peace" (2003) e "Mutacion" (2006). Também participou de mais de dez compilações. 

No terceiro e mais recente álbum, a Afrodizia defende o reggae como a pedra fundamental de um movimento de cultura de paz, e convidou 16 cantores, compositores e músicos do gênero, de vários países (entre eles, Quino, da Big Mountain), para gravar. “Foi uma experiência cultural de troca coletiva”, ressalta Tony.

Serviço – O Sesc Belenzinho fica na Rua Padre Adelino, 1.000, Tel.: (11) 2076-9700. Ingressos de R$ 9,00 a R$ 30,00.

Veja Mais