Mostra celebra heroína infantil e 60 anos da Copa de 58

Criada por escritora sueca, Pippi Meialonga é tema de exposição de fotos no Museu Pelé, em Santos

28/06/2018 - 10:59 - Atualizado em 28/06/2018 - 11:29

Flavinha Scanuffo faz personagem Pippi no estádio Urbano Caldeira (Foto: Paulo Villar divulgação)

Ela é ruiva, tem sardas e uma força descomunal. Pippi Meialonga é uma menina de 9 anos, sem pai nem mãe, que faz a própria comida e realiza sonhos de aventura e liberdade. Criada em 1945, pela escritora sueca Astrid Lindgren (1907 - 2002), a personagem continua cativando gerações de leitores em todo o mundo, assim como no Brasil, onde é publicada pela Companhia das Letrinhas. 

A autora criou Pippi Meialonga (em sueco Pippi Långstrump) para presentear a filha, no aniversário de 10 anos. Não imaginava que estava criando uma personagem atemporal, um presente para meninas de todos os tempos, ao mostrar que elas também são fortes e aventureiras. 

Fez tanto sucesso que a história se desdobrou em uma série de 13 volumes, traduzida para mais de 70 idiomas, cada um com uma trama. Por este e outros títulos, Astrid Lindgren recebeu vários prêmios literários, entre eles, a Medalha Hans Christian Andersen, em 1958, considerado o Nobel da literatura infantojuvenil, por seu livro "Pippi a Bordo".


Exposição em Santos

Em lembrança aos 60 anos desse grande reconhecimento à autora e fazendo um paralelo com os 60 anos da Copa do Mundo na Suécia, dois publicitários, Rodrigo Accioly e Paulo Villar, se uniram para uma aventura digna de Pippi: trazer a personagem para as terras de Pelé – o ex-jogador tinha 17 anos quando foi apresentado ao mundo na Copa de 1958, no qual o Brasil se consagrou.

Na exposição, Pippi encontra o ex-jogador Pepe no Museu Pelé (Foto: Paulo Villar/divulgação)

Com o nome "Pippi em Santos", será inaugurada, nesta sexta (29), das 12 às 18 horas, no Museu Pelé, a exposição fotográfica realizada por Acciolly e Villar (que também é fotógrafo). 

A abertura terá a presença da atriz e cantora Flavinha Scanuffo, de 11 anos (revelada no "The Voice Kids", da Globo), que encarnou Pippi para as lentes de Villar, e do ex-jogador Pepe, artilheiro que também brilhou na Copa de 58. 

A mostra tem curadoria de Acciolly e fica em cartaz até 15 de setembro, reunindo quase 30 fotos que contam a aventura de Pippi desde Estocolmo até Santos. “Nós somos publicitários, então, alinhavamos vários temas importantes nesta exposição, tais como o empoderamento feminino, o respeito à criança e a campanha contra o bullying, assim como o reconhecimento a uma autora e a um jovem jogador negro, em dois eventos mundiais que são o Prêmio Hans Christian Andersen e a Copa do Mundo”, enumera Villar, de 60 anos e 37 de fotografia. 

A exposição é composta de seis módulos, que contam as aventuras de Pippi em Santos. Começa com a menina chegando a Santos de barco e visitando os lugares simbólicos e continua com a personagem encontrando o ex-jogador Peppe no Museu Pelé, que a convida a assistir a uma partida com os 'peixinhos da Vila', os meninos da categoria do Sub-11 do Santos FC, no Estádio Urbano Caldeira.

Relações Brasil-Suécia

Não é a primeira vez que Pippi Meialonga é homenageada com uma exposição no Brasil. Em 2003, Acciolly realizou a mostra "Pippi in Rio – Homenagem a Astrid Lindgren", com fotos do sueco-brasileiro Magnus Vaena. Aliás, desde 2001, o publicitário tem realizado diversos eventos de intercâmbio entre o Brasil e a Suécia, além de outros países escandinavos. Para ele, a partida de 29 de junho de 1958, na Copa do Mundo, marca o início das relações culturais entre Brasil e Suécia.

Reconhecimento

Rodrigo Acciolly é o curador (Foto: divulgação)


“Astrid Lindgren é tão importante na Suécia que o governo do país instituiu o prêmio que leva o nome dela em 2003, um ano após a morte da escritora, para premiar obras de autores infantojuvenis. Em 2004, o prêmio foi concedido à brasileira Lygia Bojunga”

Rodrigo Accioly (publicitário e curador)

Fotografar com liberdade

Paulo Villar é o fotógrafo (Foto: divulgação)

“Como publicitário, eu produzo fotos que douram a pílula do consumo, orientado pela direção de arte. Em exposições como esta ('Pippi em Santos'), eu posso mostrar um pouco do que acumulei de experiências e fotografar com liberdade” 

Paulo Villar (fotógrafo e publicitário)

Serviço – O Museu Pelé fica no Largo Marquês de Monte Alegre, s/nº, Valongo. Após a abertura, a exposição continua em cartaz de terça a domingo, das 10h às 19h, com ingressos a R$ 10,00.

LEIA MAIS

<