Garage Fuzz apresenta seu novo projeto acústico em Santos

Em 27 anos de estrada, essa é a primeira experiência em palco fazendo um som mais intimista

10/10/2018 - 07:00 - Atualizado em 10/10/2018 - 07:00

Os acordes, batidas e vocal estão menos agressivos, mas os integrantes da banda hardcore santista Garage Fuzz garantem que pegada continua a mesma. Recentemente, eles deram início a um projeto acústico, com o intuito de cantar mais ao ‘pé do ouvido’ do público e, amanhã, apresentam o resultado dessa nova roupagem, às 21 horas, no Sesc Santos. 

Em 27 anos de existência, essa é a primeira temporada de shows com esse tipo de instrumento. Antes de levá-los para o palco, os integrantes usavam os violões apenas para o momento criativo de composição. 

A ideia do projeto, porém, surgiu ao acaso, depois da grande aceitação do público com a faixa bônus da música Cortex, em acústico, que foi disponibilizada no vinil do álbum Fast Relief (Alívio Rápido), produzido no final de 2015. 

“Levei o disco para uma rádio a 89 FM, em São Paulo, e tocou no programa Heavy Pero no Mucho. O cara da rádio depois perguntou se tínhamos mais versões acústicas porque o pessoal estava pedindo”, disse o baixista Fabrício de Souza. 

De imediato, o grupo começou a trabalhar em cima de cinco músicas com esse propósito. O guitarrista Fernando Bassetto, que há 10 anos toca no Garage Fuzz, conta que já admirava as composições da banda antes mesmo de fazer parte dela. 

Com o projeto acústico, ele acredita o público terá a oportunidade de dar mais atenção às letras. “Temos músicas que têm tudo a ver com violão. Elas não se baseiam apenas em arranjos, pois têm melodia e harmônia. Para mim, que estive fora da banda nos primeiros anos, era fácil entender que as letras eram diferentes. São feitas por quem sabe e temos a dimensão do potencial das canções”.

Após trabalhar as cinco faixas acústicas, o Garage Fuzz resolveu ampliar para 13, o número de versões. Essa experiência foi gravada em um show realizado no Sesc 24 de Maio, em São Paulo, que vai virar DVD e marcou o começo dessas apresentações. 

“Para a banda (produzir o acústico) foi uma novidade. A maioria não estava habituada a tocar em outra roupagem. Eu venho de uma pareceria de voz e violão e estou acostumado. Tivemos que ter paciência para acostumar com a ideia da sonoridade, com o peso da bateria e não sentar o braço no violão”, conta. 

Integrantes do Garage Fuzz querem proporcionar uma experiencia diferente aos fãs (Divulgação) 

A banda

O Garage Fuzz nasceu em abril de 1991 com influência de bandas estrangeiras de Rock, Punk Rock, Hardcore, entre outros estilos, que ajudaram na formação musical. Devido o contato com essas bandas, eles adotaram o inglês em suas composições. 

Essa situação, inclusive, abriu portas para um acordo com uma gravadora internacional. “Assinamos com a Roadrunner Records, que era gravadora do Sepultura. Eles lançaram nosso álbum em 12 países”, lembra Fabrício de Souza.

Atualmente, o Garage é formado por cinco integrantes. Além de Basseto e Souza, fazem parte o guitarrista Wagner Reis, o baterista Daniel Siqueira e o vocalista Alexandre Cruz. 

Realidade

Apesar de o grupo já ter tocado em festivais como Lollapalooza; ter sido indicado como melhor banda de hardcore no prêmio do VMB, em 2009; vencer o prêmio Dynamite, como melhor álbum punk/hardcore - “Warm & Cold”, em 2013 e ter cd’s vendidos em mais de 12 países, os integrantes ainda precisam de um segundo emprego para complementar a renda e continuar a fazer o que mais gostam: música. 

As dificuldades existem, mas Souza destaca que o Garage continua firme, forte e se reinventando. “Gostamos muito de música, nos conhecemos desde adolescentes, nos damos bem e sempre tivemos projetos agendados. Isso não permite o marasmo”.

Segundo o baixista, entre os anos 90 e 2000 o segmento musical esteve muito forte com bastante exposição na mídia, mas em algum momento as bandas perderam espaço e estão retomando agora com o auxílio da internet. 

“O movimento ainda hoje é muito forte. Temos público porque (o hardcore) é uma coisa de atitude, algo que está enraizado em quem gosta. Portanto, o estilo continua bem consolidado”.

Serviço

O Garage Fuzz se apresenta amanhã, no Sesc Santos, que fica na  Rua Conselheiro Ribas, 136, Aparecida. Os ingressos custam entre R$ 6 e R$ 20.

Veja Mais