Fernando Anitelli, d'O Teatro Mágico, se apresenta em Guarujá

O artista canta os sucesso do seu grupo em formato acústico, e promete volta para o segundo semestre

28/02/2018 - 09:40 - Atualizado em 28/02/2018 - 11:07

O cantor e compositor paulista realiza show em formato de sarau (Foto: Filipe Nevares/Divulgação)

“O que chamamos cultura, o que chamamos espírito, alma, o que temos por belo, formoso e santo, seria simplesmente um fantasma, já morto há muito, e considerado vivo e verdadeiro só por meia dúzia de loucos como nós?”, pergunta o protagonista do livro "O Lobo da Estepe", de Hermann Hesse (1877-1962). As ideias do autor que influenciou o movimento hippie reverberam na obra do cantor, compositor e militante paulista Fernando Anitelli.

Inspirado na obra mais famosa de Hesse, ele criou, há mais de 13 anos, o grupo O Teatro Mágico, cujo nome foi apropriado de uma passagem do livro. Seus shows cênico-musicais, cheios de poesia e números circenses, transformaram o grupo num fenômeno musical à margem do mercado, com uma legião de seguidores – sua página no Facebook tem quase 1,2 milhão. 

Qual não foi a surpresa dos fãs quando, em dezembro de 2016, Anitelli anunciou uma pausa no grupo (por tempo indeterminado?). Desde então, ele vem se apresentando em carreira solo, eventualmente abrindo o microfone para participações do público.

Com o nome "Fernando Anitelli e O Teatro Mágico – Voz e Violão", ele vem à região pela primeira vez com o show. Será no sábado (3), às 19h30, em Guarujá, no Teatro Municipal Procópio Ferreira. 

Como num sarau

Caracterizado como palhaço e maquiado, ele apresenta as canções que marcaram o grupo, como "Ana e o Mar", "O Anjo Mais Velho", "Cuida de Mim", e outros sucessos e composições inéditas, além de conversar com a plateia, lembrando momentos importantes da história d’O Teatro Mágico. 

“Resgato um clima de sarau. Faço improvisos. Chamo o público para subir ao palco. No ano passado, foram mais de 50 shows. Descobri uma galera muito talentosa, principalmente de mulheres. Isso aconteceu em várias cidades, como em Foz do Iguaçu, em Recife, em São Paulo”, lembra Anitelli. 

O músico tem gostado da liberdade que esse formato de show proporciona. “É uma coisa meio "La Bamba" (em referência ao filme sobre o cantor Ritchie Valens). Viajo com meu produtor, na garupa da moto e o violão nas costas. Vou descer a Serra assim. Com o grupo, viajavam de 18 a 23 pessoas, com mais de meia tonelada de equipamento e cenário”.

Retorno com o grupo
O artista adianta que a pausa com O Teatro Mágico já está chegando ao fim e que, no segundo semestre, tem clipe da música nova (sem revelar o nome). “Não teve um único dia em que não recebi mensagem nas redes sociais perguntando sobre o retorno do grupo. Já estamos ensaiando as composições. Temos 13 novas canções. O que ocupa nosso imaginário agora é o clipe da música que vamos lançar”.

Ele ressalta que a musicalidade do Teatro Mágico não vai mudar. “Continuaremos destacando a força acústica das canções, com a pegada do violão aliada a uma percussão mais enérgica, para cima, porque o País atravessa um momento delicado, muito polarizado e de muito preconceito. Tocaremos nesses assuntos, mas não de maneira raivosa”. 

Completam o grupo Zeca Loureiro (guitarra e violão), Sérgio Carvalho (contrabaixo), Rafael dos Santos (bateria), Guilherme Ribeiro (teclados) e as artistas performáticas Andrea Barbour, Nô Stopa e Manoella Galdeano 

Serviço – Ingressos de R$ 30 a R$ 80. Desconto de 30% para assinantes de A Tribuna + acompanhante. À venda no site ticketbrasil.com.br e pelo telefone 4062-0016. o teatro fica na Avenida Dom Pedro I, 350. Enseada, Guarujá.

Veja Mais