Danilo Caymmi e Quarteto do Rio trazem bossa-nova ao Sesc

Músicos prestam homenagem a Tom Jobim e Roberto Menescal

25/01/2018 - 10:12 - Atualizado em 25/01/2018 - 10:27

Danilo Caymmi traz repertório de Tom Jobim a noite

dedicada à bossa-nova no Sesc (foto: divulgação)

No Dia Municipal e Nacional da Bossa-Nova, comemorado nesta quinta-feira (25), Santos recebe dois shows que homenageiam grandes nomes da música brasileira para entrar no clima intimista do ritmo carioca.

Danilo Caymmy e Quarteto do Rio sobem ao palco do Sesc, a partir das 19h, para reverenciarem os ícones do movimento musical criado nos anos 1950: Tom Jobim e Roberto Menescal. A dupla estava no grupo de jovens cariocas que ajudou a consolidar a Bossa pelo mundo.

O cantor e flautista Danilo Caymmi mostra no palco as músicas de seu último CD Danilo canta Tom Jobim, onde interpreta 11 canções do maestro, que completaria 90 anos em 2017.

“Trabalhei dez anos com o Tom e todos me cobravam quando eu ia gravá-lo. Eu esperei muito tempo para pensar neste álbum”, conta o músico, que integrou a Banda Nova, que o acompanhava, até 1994, ano em que o artista morreu.

Danilo tinha a função de flautista no grupo, mas foi incentivado pelo amigo a desempenhar outra atividade nos palcos. “Ele gostava muito da maneira que eu interpretava suas músicas e me colocou para cantar também”, lembra o músico.Nascido e criado no meio musical, o filho do compositor baiano Dorival, Caymmi conta que, em casa, cada um dos irmãos foi formado para uma área específica. “Eu era o flautista, Dori, o arranjador, e Nana, a cantora. E, mesmo com isso definido, me arrisquei em outra função e gostei muito”.

A ligação de Danilo com Tom é antiga e vem da infância do flautista, pois o maestro era amigo muito próximo de Dorival e as famílias frequentavam as casas umas das outras. A estreia em estúdio do cantor, aos 16 anos, também teve a participação de Tom. Ele fez parte do álbum Caymmi visita Tom — E leva seus filhos Nana, Dori e Danilo, de 1964.

Para homenagear aquele que o descobriu como cantor, a escolha do repertório foi pensada detalhadamente. “Procurei no trabalho de Tom aquilo que eu faria o meu melhor e que ele gostaria”, conta.

Em Santos, acompanhado do maestro Marinho Boffá no piano, Danilo deve tocar Bonita, Ela é Carioca, Por Causa de Você, Estrada do Sol, Água de Beber e Luiza, além de composições próprias de sucesso, como O Bem e o Mal e Andança. No show, ele também toca a flauta.

Durante os próximos meses, o músico pretende continuar com a turnê em homenagem ao maestro. “Está sendo muito bom trabalhar esse álbum, que foi lançado no ano passado e teve uma avaliação muito positiva da crítica, mas já começo a amadurecer um novo projeto autoral”, afirma. O próximo álbum deve ficar pronto para 2019, adianta o músico, sem entrar muito em detalhes.

Mais Bossa

Depois da apresentação de Caymmi, a partir das 21 horas, é a vez do Quarteto do Rio mostrar ao público as canções de Roberto Menescal. Esta será a estreia do trabalho em São Paulo, que foi lançado no ano passado, em comemoração aos 80 anos de um dos fundadores da bossa-nova, que continua em atividade.

O grupo vocal e instrumental criado pelos ex-integrantes de Os Cariocas traz a Santos as músicas do seu primeiro álbum, Mr. Bossa Nova.

“Vai ser uma alegria iniciar o lançamento em São Paulo por Santos, porque, desde Os Cariocas, a Cidade sempre foi muito carinhosa conosco, sem falar que também se parece muito com o Rio de Janeiro”, diz Neil Teixeira, baixista e vocal do grupo, que fez parte da formação da histórica banda por 21 anos.

Novos rumos

O grupo Os Cariocas foi formado na década de 1940 e ficou conhecido por tocar na Rádio Nacional. Depois de mais de 70 anos de existência, em 2016, com morte do maestro Severino Filho (último representante da formação inicial), os músicos decidiram aposentar o nome da banda.

Foi assim que surgiu o Quarteto do Rio, com Eloi Vicente no violão e voz, que integrou o grupo anterior, assim como Neil e o baterista, flautista e vocalista Fabio Luna. O novo integrante é o pianista Leandro Freixo.Entre as músicas apresentadas hoje, o destaque fica com Só danço samba. “Usamos o arranjo original, feito pelo Tom, João Gilberto, Severino e Badeco (também de Os Cariocas), durante os encontros que eram tradicionais na casa de Tom”, conta o baixista. O público também vai poder cantar sucessos como O Barquinho, Bye, Bye Brasil, Rio, Ah! Se eu pudesse e Ela quer sambar.

Uma das surpresas da noite está na apresentação em conjunto com Caymmi. “Sempre tocamos juntos e temos algumas canções que podemos tocar, dependendo da dinâmica do evento”, diz Teixeira, sem revelar qual a composição que reunirá todos os artista no palco.

Os dois shows gratuitos fazem parte da programação do Rio Santos Bossa Fest. A retirada de ingressos, limitada a duas unidades por pessoa, deve ser feita a partir das 10 horas. O espetáculo não é recomendado para crianças com menos de 12 anos. O Sesc fica na Rua Conselheiro Ribas, 136, no bairro Aparecida, em Santos.

Veja Mais