Ex-curador da Gibiteca de Santos recebe Troféu Angelo Agostini

Fábio Tatsubô atuou de 2013 a 2017, no equipamento municipal, e realizou 800 atividades

02/02/2018 - 09:17 - Atualizado em 05/02/2018 - 10:47

Fábio trabalhou na Gibiteca voluntariamente
(Foto: Raimundo Rosa/Prefeitura de Santos)

Considerado um dos mais importantes prêmios dos quadrinhos no Brasil, o tradicional Troféu Angelo Agostini é dedicado ao reconhecimento de pessoas que ajudam a desenvolver e divulgar a arte das HQs.

No sábado (3), durante a 34ª edição do prêmio, em São Paulo, um dos contemplados será o quadrinista Fábio Tatsubô, pelo trabalho como curador voluntário da Gibiteca Municipal Marcel Rodrigues Paes, em Santos, entre os anos de 2013 e 2017.

Foram escolhidos 12 profissionais em nove categorias. Por meio de votação popular, os premiados recebem reconhecimento nacional como destaques do mercado de quadrinhos em 2017.

Fábio se destacou na categoria Jayme Cortez, realizado pela Associação dos Quadrinistas e Cartunistas do Estado de São Paulo, e recebe o troféu no Auditório da Biblioteca Latino-Americana do Memorial da América Latina (Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664, Barra Funda, São Paulo). O evento tem entrada franca.

Para o contemplado santista, o reconhecimento é um estímulo para o desenvolvimento de gibitecas em todo o País. “A partir do trabalho realizado na Gibiteca de Santos, hoje, existe uma mobilização maior para que as cidades tenham suas gibitecas. O cartunista João Carpalhau conseguiu emplacar uma gibiteca em Duque de Caxias, no Rio, assim como Ordonez, com a mini-gibiteca da Biblioteca de Arraial d’Ajuda, na Bahia, e da provável gibiteca em Florianópolis, liderada por José Mathias e Bruno Flesch do Circuito Catarinense de Quadrinhos”, exemplifica.

Fábio salienta que é na gibiteca que se preserva a memória gráfica de tudo o que foi publicado no País, e proporciona a formação do público-leitor que não tem recursos para comprar os títulos. 

“Gibiteca é um equipamento de estímulo à leitura, pois as histórias em quadrinhos podem ser usadas como ferramenta pedagógica pelas escolas. Para os desenhistas iniciantes, o acervo dá oportunidade para estudo e pesquisa. É um local referencial, com potencial de revelar talentos. Por exemplo, o Fábio Yabu declarou que foi na Gibiteca de Santos que ele despertou para os desenhos”, destaca o curador. Yabu é criador da série de webcomic "Combo Rangers" e da série de animação "Princesas do Mar" (no ar pela Discovery Kids).

Centenas de atividades

No período em que atuou na Gibiteca de Santos, Fábio empreendeu mais de 800 eventos no espaço, que funciona há 25 anos no Posto de Salvamento 5, no Boqueirão. Passaram por lá nomes consagrados como Laerte, Ivan Reis, Sidney Gusman e Paulo Ramos. Mas Fábio reconhece que nada seria possível sem a integração de todos os segmentos da cultura pop que atuam na região: quadrinistas, cartunistas, roteiristas, desenvolvedores de jogos eletrônicos e de tabuleiros, autores de livros de RPG, fãs da cultura pop japonesa, cosplayers, realizadores de eventos geek e empresas do ramo.

“Foi um esforço coletivo, para proporcionar tantas atividades que projetaram o nome da Cidade para o País e, principalmente, este formato de trabalho para formação de leitores, iniciação e aperfeiçoamento artístico”.


Trajetória

Fábio Tatsubô é quadrinista desde 1991 e produz material de cunho histórico e institucional. Recebeu, em 2000, o Troféu HQ MIX com o projeto "500 Anos de Brasil em Quadrinhos". Atuou como subeditor da revista Mangá Kids e publicou diversas revistas como Darumá Zine, Receptação é Crime!, Mar Doce Mar (lançado em Santarém/Portugal), Okinawa Te - Mãos de Okinawa (lançado em Okinawa/Japão), Turma da Cidadania e outras. Também coordenou a Gibiteca Bigail, de São Vicente, entre 2000 e 2006. 

Veja Mais