Brasil aparece com pouca representividade no Festival Internacional de Cinema de Locarno

Apenas dois filmes estarão em destaque, mas fora da principal competição

12/07/2018 - 11:10 - Atualizado em 12/07/2018 - 11:19

Filme de André Novais Oliveira é uma das apostas nacionais no festival (Foto: Divulgação)

RUI MARTINS*

Com a presença de apenas dois filmes brasileiros em destaque no próximo Festival Internacional de Cinema de Locarno, de duas uma: ou os realizadores de bons filmes levaram suas produções para Cannes, Veneza e Berlim ou, a pior hipótese, baixou a qualidade da nossa cinematografia. A relação dos filmes selecionados para o Festival Internacional de Cinema de Locarno foi divulgada na quinta-feira, em Berna, na Suíça.

O filme Temporada, de André Novais Oliveira, foi selecionado para a competição da mostra Cineastas do Presente do Festival Internacional de Cinema de Locarno, que começará dia 1 e irá até 11 de agosto.

Júlio Bressane participa, em Locarno, com seu filme Sedução da Carne, na mostra paralela Sinais de Vida, fora de competição.

Não há filmes brasileiros na principal competição do Festival Internacional de Locarno e nem na competição de curtas-metragens.

Esta será a mais fraca participação do Brasil em Locarno, onde haverá, na competição internacional, um filme argentino de 14 horas de duração, A Flor, a ser apresentado ao público em partes escolhidas pelo realizador Mariano Llinás, durante sete sessões matinais do Festival.

O Brasil participa mas apenas como coprodutor do filme chileno Tarde para Morrer, da chilena Dominga Sotomayor, competição internacional. São também coprodutores a Argentina, a Holanda e o Catar. O Brasil é também um dos coprodutores, com Alemanha e Noruega, do filme Família Submergida, da cineasta argentina Maria Alché, na mostra Cineastas do Presente.

*Rui Martins, de Berna, na Suíça, que estará do 1 ao 11 de agosto em Locarno, convidado pelo Festival Internacional de Cinema.

Veja Mais