Compositor britânico Nick Drake ganha tributo de Beatrice Mason

Intitulado "Nick", álbum traz 12 canções do artista morto precocemente, aos 26 anos

12/09/2018 - 09:33 - Atualizado em 12/09/2018 - 09:56

Cantora e compositora carioca lançou, antes os álbuns 'Mosaico' e '12 Segundos' (Divulgação)

Os belos arranjos de violão e de piano formam a cama macia onde repousa a voz suave e reverente da cantora carioca Beatrice Mason no álbum-tributo "Nick", seu terceiro registro. O álbum traz 12 canções e um bonus track do compositor e cantor britânico Nick Drake, morto em 1974, aos 26 anos.

“Você pode dizer que o sol está brilhando se quiser/ Eu posso ver a lua e ela parece tão clara/ Você pode pegar a estrada que te leva para as estrelas agora mesmo/ Eu posso pegar uma estrada que enxergarei através de mim”, canta Beatrice, abrindo o disco com "Road".

Em seguida, ela vem com a balada "Northern Sky", em dueto com a voz rouca de Daniel Lopes, acompanhados somente de violões e coros.

“Gosto muito de folk e pop mais adulto. São a minha praia. Acho que há espaço para isso em meio a uma certa xenofobia e monocultura do samba que rola no Rio”, comentou Beatrice, em entrevista à Billboard Brasil, cinco anos antes de gravar este álbum-tributo. 

"Nick" traz canções de uma beleza estranha e de uma tristeza emocionante: com violões afinados de maneira inusual e canções curtas e redondas, como um poema muitas vezes lapidado. 

Em sua crítica à Billboard Brasil, Pedro Só concluiu que as canções difíceis e com afinações diferentes eram superadas pelos violões de Pedro Braga e João Arruda.

Obcecado na prática com o violão, conta-se que Nick era avesso aos palcos e passava horas no quarto, se esmerando musicalmente.

Nascido por acaso na Birmânia, o compositor ganhou bolsa para estudar Literatura em Cambridge. Em 1969, lançou o primeiro álbum, o melancólico "Five Leaves Left", que logo o consagrou. 

Largou a faculdade faltando meses para se formar, para se dedicar à carreira musical. Mudou-se para Londres e lançou o segundo álbum, "Bryter Layter", um pouco mais alegre que o primeiro. Em 1972, lançou o terceiro trabalho, o sombrio, mas não menos belo, "Pink Moon". 

Nick Drake era bolsista na Cambridge University, onde estudava Literatura Inglesa (Divulgação)

Deprimido e sem vontade de promover o álbum, Nick tentou abandonar a carreira e arranjar um emprego formal, mas não se encaixava em função alguma. Morando com os pais, foi encontrado morto na cama, pela mãe. Com dificuldades para dormir, ele abusou de medicamentos e não sobreviveu a uma overdose. 

Foi redescoberto a partir da década de 1980, ao ser citado como influência por integrante de bandas importantes como The Cure e R.E.M. 

Nos anos 90, foi regravado por grandes nomes da música internacional, como Norah Jones, com "Day is Done", do segundo álbum. Elton John também regravou "Day is Done", além de "River Man", "Way to Blue" e "Poor Boy". A banda The Mars Volta fez sua releitura de "Pink Moon". Em 1994, Renato Russo cantou "Clothes of Sand", no disco solo "The Stonewall Celebration Concert". Saiba mais no site beatricemason.com.br.

Assista à performance ao vivo da cantora, na música "Northern Sky":

Assista ao clipe de Beatrice Mason cantando "Man in a Sheed":

Veja Mais