Banderas vive 'imensa responsabilidade' ao encarnar Picasso

Genius: Picasso é uma série de 10 episódios do National Geographic

08/02/2018 - 14:20 - Atualizado em 08/02/2018 - 14:21

O pintor é retratado em nova série da National Geographic (Foto: Divulgação)

O ator espanhol Antonio Banderas, que grava Genius Picasso, série de televisão para a National Geographic, encarnando o famoso pintor, declarou à AFP que experimenta "uma imensa responsabilidade" em relação ao "herói de Málaga".

Nas filmagens da série, nos estúdios de Budapeste, o ator caracterizado de um Picasso (1881-1973) idoso, lembra que o pintor "nasceu na (sua) terra", em Málaga, a capital da Andaluzia.

O ator diz que "cresceu à sombra" desta "figura muito imponente" que, segundo ele, é "provavelmente o artista mais importante do século XX". "Quando ia à escola segurando a mão de minha mãe todas as manhãs, atravessávamos a Praça da Merced", onde se encontra a casa onde Picasso nasceu, lembra, em um inglês com um sotaque ibérico encantador.

"Sei que serei observado atentamente e criticado", acrescenta com uma risada, "como Picasso sabia ao pintar 'Les demoiselles d'Avignon', obra pela qual alguns queriam matá-lo porque não era adequada para a época".

A série em dez episódios, programada para estrear em 24 de abril nos Estados Unidos, parece-lhe "um vetor muito interessante" para contar a vida "de tal personagem".

Ele passa cinco horas fazendo a maquiagem para se parecer com o Picasso já velho. "Então, devemos nos acostumar a usar essa máscara, as sobrancelhas, esse nariz, para fazer justiça", argumenta ele.

Mas a exata semelhança física "não é o maior desafio", ressalta Antonio Banderas. "Não queremos reproduzir um boneco de cera". A exatidão histórica é uma das forças do canal National Geographic, revela.

Para Antonio Banderas, o maior desafio é entender a mente do pintor (Foto: Divulgação)

Compreender sua verdade

A maior dificuldade, de acordo com ele, é "entender Picasso", suas escolhas políticas e artísticas, a natureza de suas relações amigáveis e sentimentais. "É preciso ler constantemente entre as linhas, tentando compreender a sua verdade: a complexidade está aí", aponta o ator.

A narração da série não é "cronológica", continua, acrescentando que a série começa com o bombardeio nazista da cidade basca de Guernica, em 26 de abril de 1937, para ajudar as tropas nacionalistas espanholas.

"Estamos fazendo uma espécie de pintura cubista com constantes idas e voltas na existência do todo-poderoso" Picasso". Alex Rich ("Glow", "True Detective") encarna o pintor em seus anos de juventude. "Eu apareço em cena antes dele", conta Banderas. "O velho Picasso está observando sua vida pelo espelho retrovisor".

O ator está em contato com Olivier Picasso, o neto do pintor e de Marie-Thérèse Walter, de quem lê "Picasso portrait intimate" (2013), que será lançado em inglês em 8 de março.

Encarnar o Picasso de Saura

Antonio Banderas lembra ter jantado uma vez em Los Angeles ao lado de Paloma, a filha que Picasso teve com a artista Françoise Gilot. "Falei com ela em espanhol quando percebi que ela estava fechando os olhos", relata. "Eu pensei: 'Oh meu Deus, eu estou aborrecendo essa mulher!'"

Ele, então, atreveu-se a dizer: "Você está cansada, eu estou te aborrecendo?" E Paloma respondeu: "Não mesmo! Quando fecho meus olhos, vejo meu pai (...) ele falava como você". Picasso adere à pele de Banderas, a quem muitos lhe ofereceram o papel.

Além disso, o diretor Carlos Saura prepara um "Picasso e Guernica" que propõe ao ator há alguns anos e que "talvez acabe aceitando". "É uma maneira completamente diferente de abordar Picasso", acrescenta, "ele se concentra nesta pintura excepcional que é 'Guernica'", inspirada pelo bombardeio. Através desta pintura, uma das obras-primas mais famosas do mundo, Saura traz "uma reflexão sobre guerra civil, a violência (...) ele quer fazer uma pintura, literalmente".

Confira o trailer:

 

Veja Mais