Baixada Santista tem mais uma representante na Elephant Parade

A santista Gabriela de Miranda Santos foi chamada a uma semana da exposição; Thiago de Almeida Reis é outro artista a fazer parte da mostra

10/08/2017 - 10:16 - Atualizado em 10/08/2017 - 10:56

O elefante de Gabriela de Miranda está exposto dentro do Shopping Ibirapuera (Foto: Divulgação)

Tudo o que entra pelas retinas de Gabriela de Miranda Santos se transmuta em desenho. E não importa o suporte. Pode ser a folha de papel, a pele de uma pessoa ou uma escultura em fibra de vidro. Em qualquer superfície, ela traduz paisagens, sensações e suas crenças em traços e cores – na maioria das vezes, em preto e branco. 

Mostras de sua arte podem ser vistas todos os dias em alguns murais de Santos e outras cidades da região – como a pintura de um dragão do mar, num muro de 25 metros de comprimento, próximo à Praia da Guaiúba, em Guarujá. 

Desde o dia 1º, outra arte de Gabriela pode ser apreciada todos os dias do mês na exposição internacional Elephant Parade, em São Paulo. Assim como a já bem conhecida Cow Parade, esta consiste na seleção de projetos de pintura sobre esculturas em fibra de vidro (neste caso, em vez de vacas, são elefantes bebês). 

Foram escolhidos 85 projetos de artistas de várias partes do Brasil, entre eles, a do guarujaense Thiago de Almeida Reis e da santista Gabriela de Miranda Santos. 

Em uma reportagem publicada em A Tribuna na última segunda-feira, foi informado que apenas Reis representava a Baixada Santista na mostra. O equívoco aconteceu porque as cidades de origem não são divulgadas pela organização do evento, e a reportagem tinha a informação de que Reis era o único da região a ter sido selecionado. 

Além disso, Gabriela só teve certeza de que faria parte da mostra uma semana antes da inauguração da exposição. Um dos requisitos para participar da Elephant Parade é o artista conseguir patrocínio para a execução de sua pintura. O patrocinador tem seu nome impresso na placa que identifica a escultura e veiculado na mídia, no site do evento e nas redes sociais, além de outros lugares.

Gabriela conta que não tinha conseguido patrocínio para o seu elefante, batizado por ela de "Prece ao Mar". “Eu já tinha deixado isso de lado quando a organização do evento me procurou dizendo que investiriam na minha arte. Eu tive três dias para pintar o elefante”.

Ela e mais 24 projetos foram patrocinados pelo evento. Os elefantes agora fazem parte do acervo da Elephant Parade e, junto com os outros 61 selecionados, poderão ser leiloados após a mostra, que termina no dia 30. Como divulgado no site elephantparade.com.br, a renda será revertida a entidades beneficentes locais, a projetos de preservação dos elefantes asiáticos e aos artistas.

A artista pintando um mural na pista de skate
da Praça Palmares (Foto: Divulgação)

A maior parte das esculturas está espalhada pelas ruas. "Prece ao Mar", de Gabriela, se encontra dentro do Shopping Ibirapuera. Sua pintura no corpo do elefante, toda em preto e branco, foi feita com spray e caneta posca, e retrata mitos e natureza: de um lado, Netuno; do outro, os tentáculos de um polvo engolindo uma caravela. “Tudo o que fiz de arte até agora, eu encarava como hobby. Mas isso está mudando e eu me vejo, cada vez mais, como artista”, diz Gabriela, que tem 22 anos e é formada em Arquitetura pela Universidade Santa Cecília (Unisanta). “Eu cheguei a trabalhar com isso, mas minha vida não cabe num escritório”.

Há dois anos, ela aprendeu a tatuar e vem desenvolvendo temas ligados àquilo que vive com mais intensidade: o surfe e o skate. Também faz murais e arte para peças de vestuário. A pista da Praça Palmares ganhou um mural de sua autoria (uma sereia, claro). Conheça o trabalho da artista no Facebook.com/gabrielademarte e Instagram.com/gabimirandas.

Veja Mais