Bailarino de Praia Grande ganha bolsa para estudar em Nova Iorque

Anthony Caio de Almeida Silva foi contemplado pelo Youth America Grand Prix (YAGP), nos EUA

24/10/2017 - 10:10 - Atualizado em 24/10/2017 - 10:21

Anthony só tem 9 anos e talento de gente
grande (Foto: Divulgação)

Quem olha para o pequeno Anthony Caio Almeida Silva, de 9 anos, nem imagina a grandiosidade de seu talento. Aluno de balé clássico, jazz e sapateado do Studio de Dança Aracy de Almeida, em Praia Grande, há apenas três anos, o jovem talento já coleciona diversos prêmios. Além disso, é o grande orgulho da professora, Carine Forganes, e da mãe, Andreia Guedes de Almeida, coordenadora de Desenvolvimento ao Cliente, de 42 anos. 

Anthony também ganhou este ano uma bolsa para o Youth America Grand Prix (YAGP), maior rede de dança do mundo, com sede em Nova Iorque (EUA), que promove workshops, oficinas e competições. “Eu gosto de tudo, danço porque é legal, quero dançar para várias pessoas”, diz o menino.

Tudo começou quando ele, ainda aos 6 anos, entrou para os programas extracurriculares da antiga escola, um colégio particular da Cidade. Lá, explica a mãe, meninos faziam futebol, enquanto meninas iam para o balé. No entanto, Anthony não se encaixou no esporte, queria mesmo dançar.

“Só que foi muito difícil, porque ele sofreu bullying, tanto das meninas que faziam dança, quanto dos outros garotos da escola”, conta a mãe, que pegou o filho várias vezes fora da sala apenas assistindo as meninas fazendo aula. Não teve dúvidas, foi a hora de tirá-lo da escola.

Assim, o matriculou em uma escola pública, onde conheceu o Centro de Apoio à Família do Educando (Cafe), da Prefeitura de Praia Grande, que tinha vários tipos de dança. Lá, ainda enfrentou alguns olhares estranhos de alunos, mas foi bem mais aceito.

Como apenas as aulas naquela escola não estavam sendo suficientes, Andreia buscou uma escola de dança. Assim, ela conheceu o Studio de Dança Aracy de Almeida. O garoto surpreendeu a diretora, Aracy de Almeida, e a professora, Carine Forganes. “O Anthony é um talento. Desde o primeiro dia nós percebemos o potencial dele. Ele é apaixonado pelo que faz”, diz ela. “Ele nasceu com alma de bailarino”, disse à época a diretora da escola, que o presenteou com uma bolsa de estudos. “Sou muito grata a eles. Em troca, ofereço um pouco do que sei, do meu trabalho. Como já fiz muitos eventos, tenho acessórios, fantasias, também auxilio nisso nas peças. É uma cooperação mútua”, diz Andreia.

Desde então, a rotina de Anthony tem sido escola e dança, basicamente. Entra às 7h na escola e sai às 11h20; às 15h45 vai para a escola de dança. Essa correria diária é por conta dos três tipos de aula que faz: balé clássico, sapateado e jazz. Foi ele mesmo quem quis. “Não canso não, é legal, eu me divirto”, diz o garoto.

E a dedicação já lhe rendeu muitos frutos, apesar da carreira recente. Entre os principais estão o Passo de Arte 2017, onde ganhou o primeiro lugar no trio pré-infantil, segundo lugar no solo masculino infantil e prêmio especial com indicação ao Youth America Grand Prix (YAGP), que acontece em Nova Iorque. “Ainda estamos avaliando, porque é um investimento muito grande. Ele ganhou a bolsa para o curso, que acontece em julho, mas as passagens e hospedagens são por nossa conta”, afirma a mãe.

Também entram no rol de conquistas o Festival Internacional de Dança em Santos (Fidifest), com indicação a melhor bailarino e primeiro lugar no solo; primeiro lugar por dois anos consecutivos do Festival RV (de dança de Campos do Jordão); e o primeiro lugar no solo infantil no Festival do Conselho Brasileiro da Dança (CBDD). No Festival Santista de Dança (Fesadan), este ano, Anthony recebeu o prêmio como melhor bailarino do evento.

Talento para o teatro

A desenvoltura de Anthony para atuação, além da dança, abriu espaço para oportunidades de testes de elenco como o programa "Vade Retro", de Alexandre Machado e Fernanda Young, e para o filme da Turma da Mônica, produção Maurício de Souza. Entre 1.800 crianças, Anthony despertou a atenção da coreógrafa Fernanda Chamma, que o chamou para fazer parte do elenco do espetáculo "A Megera Domada" e também para fazer aulas de dança para musicais.

Para que possa estudar com Fernanda, Anthony vai para São Paulo todos os sábados. “Saímos daqui na sexta à noite, vamos para lá, ele estuda com a Fernanda e domingo tem a peça, até o fim de novembro”, diz a mãe. Pensa que ele reclama? “Não. Eu gosto muito e  fico cansado. Quero dançar pra muita gente ver”, afirma o pequeno.

Na peça, uma adaptação livre da obra de Willian Shakespeare, Anthony interpreta Grêmio, jovem que disputa o amor de Bianca com dois pretendentes. O espetáculo estreou dia 3 de setembro e está em cartaz todos os domingos no Teatro Nair Bello, no Shopping Frei Caneca, em São Paulo, com sessões aos domingos, às 11h e às 15h.

Anthony virou exemplo e pauta para o programa "Encontro com Fátima Bernardes", "Fantástico" e o documentário "Repense o Elogio", disponível no Netflix. Além de seu talento, o enfrentamento do preconceito é inspirador. “Eu faço tudo que posso. Ele combateu preconceito porque as pessoas costumam associar o esporte à sexualidade. Mas, também, se ele for homossexual, qual o problema? Tô preparada pra isso. É o sonho dele e eu quero que ele siga. Se amanhã ele mudar de opinião, pelo menos teve experiência. Meu papel agora é apoiar”, declara a mãe, orgulhosa.

Veja Mais