Ademir Demarchi lança livro e revista na Casa Fórum

Escritor de Santos foi contemplado em dois editais, o municipal Facult e o estadual ProAc

20/12/2017 - 13:11 - Atualizado em 20/12/2017 - 13:19

Ademir Demarchi é autor de livros de crônicas, 
poemas e ensaios (Foto: divulgação)

Um livro nascido da consulta e análise de fontes importantes da nossa história torna-se também uma fonte valiosa para pesquisa e estudo. É o caso de "Espantalhos" (Nave Editora, R$ 50,00), do paranaense radicado em Santos Ademir Demarchi, que reúne mais de 60 ensaios sobre temas diversos, muitos dos quais surgidos de pesquisas de seu autor. Selecionado no 5º Concurso de Apoio a Projetos Culturais Independentes e contemplado pelo Fundo de Assitência à Cultura de Santos (Facult), o livro será lançado, nesta quarta-feira, às 18h30, com bate-papo na Casa Fórum (R. Primeiro de Maio, 57, Aparecida, 3877-0636).

O lançamento coincide com a volta da Revista de Poesia, Tradução e Crítica Babel (R$ 25,00). Editado por Demarchi, o periódico teve seis edições, entre 2000 e 2004 e em 2009. Agora, sai o número 7, após ser contemplado pelo Programa de Ação Cultural (ProAc), do Governo do Estado de São Paulo. Em suas 144 páginas, a revista versa com o tema "Poesia contra o estado de exceção agrícola", e lembra a catastrofe ambiental e social causada pela empresa Samarco no Rio Doce e na cidade de Mariana, após o rompimento da barragem. Dividida em três partes, a publicação traz poemas e entrevistas com poetas e um especial: um texto de 1962, escrito em Santos, pelo escritor, jornalista e crítico literário Geraldo Ferraz, lembrando os 25 anos do bombardeio à cidade de Guernica.

Voltando a "Espantalhos", o livro com 312 páginas traz textos publicados por Demarchi ao longo dos últimos 25 anos, em publicações diversas e acadêmicas. É dividido em quatro partes. Na primeira, "Espantalhos nas Vitrines", o autor fala sobre americanismo no Brasil e lembra a trajetória de José Maria da Silva Paranhos Júnior, o Barão do Rio Branco, advogado, jornalista, diplomata, geógrafo e historiador brasileiro, criador da Revista Americana, que ajudou a delimitar as fronteiras do Brasil e a criar uma nova política internacional. Reflete, também, sobre as publicações na Era Vargas, como o jornal A Manhã e seus suplementos Autores& Livros, Letras & Artes e Pensamento da América.

A segunda parte aborda a experiência contemporânea de edição de revistas como Babel e crônicas que têm o País como pano de fundo. Na terceira, Demarchi reflete sobre os livros que leu e o conema de Carl Dreyer. No quarto e último capítulo, o autor volta a si mesmo e revela características bizarras de Maringá, sua cidade natal no Paraná, como a curiosa arquitetura de sua catedral, que lembra um foguete prestes a ser lançado.

O texto de Demarchi traz colaborações valiosas para quem pesquisa o meio literário regional independente, pertence a ele ou pretende lançar-se nele, com ensaios sobre as pequenas editoras, sobre práticas contemporâneas de ação cultural na literatura, como conquistar leitores para a poesia. São textos de quem entende bem do riscado. Ele é autor dos livros de poemas "O Amor é Lindo" (Patuá, 2016) e "Pirão de Sereia" (2012), além de "Siri na Lata" (crônicas, 2015), entre vários outros. Também atuou no selo Sereia Ca(n)tadora, de livros artesanais.

Veja Mais