Hospital de Cubatão poderá atender pacientes com câncer a partir de abril

Fundação quer antecipar instalação do tratamento previsto para o prédio do antigo Teatro Municipal

16/01/2018 - 20:45 - Atualizado em 16/01/2018 - 21:12

A Fundação São Francisco Xavier quer antecipar para abril o atendimento a pacientes com câncer no prédio do Hospital Municipal. A entidade pretende iniciar mais cedo a instalação do tratamento completo em oncologia previsto para a área do inacabado prédio do Teatro Municipal. 

A proposta foi apresentada ao prefeito Ademário Oliveira (PSDB) por Abner Moreira de Araújo, diretor do hospital. O objetivo é que o prédio hospitalar passe a abrigar uma parte da linha de atendimento de oncologia, com serviços de diagnóstico, prevenção, farmácia de manipulação e bloco cirúrgico.

Os demais serviços de tratamento ocorrerão ainda neste ano no prédio anexo, onde antes ficaria o teatro. Segundo Abner Araújo, estão sendo registrados na Cidade cerca [TEXTO]de 350 casos de atendimento oncológico por ano, entre os quais predominam os relacionados ao câncer da mama. “Isso justifica essa antecipação”, disse.

Obras no antigo teatro, anexo ao hospital, podem começar neste semestre (Foto: Rogério Soares/AT)

Antigo teatro

Os estudos técnicos para realizar as obras de adaptação do prédio do antigo teatro anexo ao hospital estão em fase de conclusão. As obras poderão começar ainda neste semestre.

Quando a adaptação estiver completa, ali funcionarão uma câmara hiperbárica, um setor de oncologia e outro de nefrologia, com equipamentos para diálise e hemodiálise.

Entre as adaptações previstas no prédio do antigo teatro, constam a abertura de uma unidade de tratamento de água para atender o serviço de hemodiálise. 

O vice-prefeito Pedro de Sá (PTB) sugeriu que as adaptações no antigo teatro incluam melhorias no sistema de iluminação interna do prédio e paisagismo. 

Dinheiro

A fundação vai dispor de R$ 8 milhões para a compra dos equipamentos. O dinheiro é proveniente de um Termo de Ajustamento e Conduta (TAC) firmado com uma empresa do Polo Industrial. 

Os serviços a serem prestados não existem hoje em Cubatão. Os pacientes têm de ser levados para unidades em outras regiões, e o custo do deslocamento é pago pela Prefeitura.

Veja Mais