Com apoio de Federação, Guerrero apresenta recurso na Justiça comum na Suíça

Atacante dá última cartada na tentativa de reverter a suspensão imposta pela Fifa para jogar a Copa

25/05/2018 - 21:26 - Atualizado em 25/05/2018 - 21:37

Guerrero tenta suspender a pena imposta pela Corte Arbitral do Esporte (Foto: Ernesto Benavides/AFP)

Paolo Guerrero fez mais uma tentativa nesta sexta-feira (25) para tentar ir à Copa do Mundo da Rússia. Com o apoio da Federação Peruana de Futebol, o atacante apresentou recurso à Justiça comum da Suíça para tentar anular a punição aplicada pela Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) há dez dias. 

O recurso foi protocolado no Tribunal Federal Suíço pelo próprio presidente da Federação Peruana, Edwin Oviedo. "O presidente Oviedo entregou um depoimento no qual ressalta os valores, a trajetória e a importância de Paolo Guerrero como jogador de nossa seleção peruana de futebol", afirmou a entidade em comunicado.

Trata-se de mais uma tentativa de Guerrero de anular a punição sofrida pela CAS e disputar o Mundial da Rússia. Guerrero teve sua suspensão ampliada pela entidade de seis para 14 meses. Assim, só poderá retornar aos gramados em janeiro do próximo ano. Neste período, ficará sem disputar a Copa e não renovará o seu contrato com o Flamengo.

A punição se deve ao teste positivo para uso de benzoilecgonina em exame antidoping realizado depois do empate por 0 a 0 entre Argentina e Peru, em Buenos Aires, pela penúltima rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa da Rússia de 2018, no dia 5 de outubro. 

Em dezembro, a Fifa aceitou a defesa de Guerrero de que o atacante tinha ingerido um chá contendo a substância proibida benzoilecgonina, principal metabólito da cocaína. Para a Fifa, o atacante foi negligente ao violar a regra antidoping e, portanto aplicou seis meses de suspensão levando em consideração que a sanção mínima seria de um ano se não tivesse tido negligência. Mas a Agência Mundial Antidoping recorreu e obteve a ampliação da punição no início deste mês. 

Insatisfeito, Guerrero voltou a alegar inocência no caso e pediu o apoio da Federação Peruana. Ele recebeu o suporte da entidade, do técnico Ricardo Gareca e até do presidente do País. O atacante ainda apelou ao presidente da Fifa, Gianni Infantino, na tentativa de ganhar um indulto para disputar ao menos a Copa. Mas não teve sucesso.

Agora a aposta do jogador e da Federação é a Justiça comum, após esgotar todas as tentativas de recurso na esfera esportiva. "A Federação vai continuar trabalhando da mesma maneira e como sempre trabalhamos e conseguimos superar os mais difíceis desafios e objetivos desde que assumimos esta gestão, em 2015", disse a entidade, em comunicado assinado por Edwin Oviedo.

Veja Mais