Veículos grandes têm mais liberdade para passar por rotatórias

Mesmo assim, legislação do Contran exige que sinalização de solo seja cumprida

14/09/2018 - 07:52 - Atualizado em 14/09/2018 - 07:52

A Tribuna flagrou o momento em que um ônibus "queimou" uma rotatória no Marapé (Foto: Carlos Nogueira/AT)

Veículos de grande porte têm mais dificuldade para contornar rotatórias, mesmo assim precisam respeitá-las. A resolução 371/2010 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) permite que caminhões, ônibus e carretas transitem parcialmente sobre a sinalização de solo, devido ao raio de giro.

A Tribuna flagrou, na terça-feira (11) um ônibus trafegando pelo meio da rotatória entre as ruas Nove de Julho e Saturnino de Brito, no Marapé. Para o professor universitário e consultor em Mobilidade Urbana e Transporte, Rafael Alves Pedrosa, há necessidade de, por vezes, passar as rodas de veículos maiores sobre a sinalização. “Mas abusar, não”, diz, analisando a foto e lembrando que a Cidade deve verificar o tamanho da circunferência na via e avaliar se é a mais apropriada.

O mestre em Sociologia, escritor e especialista em educação e segurança no trânsito, Eduardo Biavati, diz que também é preciso compreensão, já que cidades históricas como Santos têm ruas estreitas.

“Nem sempre a rotatória soluciona todos os problemas. É uma questão de limitação das vias disponíveis. Não vão derrubar moradias para ampliar vias”, destaca o profissional, lembrando que cabe aos técnicos da engenharia de tráfego avaliar cada caso.

Previsão

Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego de Santos (CET-Santos), “prevendo a necessidade de passagem de grandes veículos, a área central da rotatória não é fechada”. Ou seja, não quebra caso veículos grandes passem em cima.

O órgão explica que o manual para implantação de minirrotatórias adotado pela Cidade prevê a instalação em locais onde o trânsito predominante é de veículos leves, com passagem de ônibus e caminhões num volume de até 5% do total do tráfego, em horários de pico. É o caso da foto.

A companhia ainda diz que além de promover campanha educativa própria sobre o uso da rotatória até o fim do ano, como a que será promovida junto com a instalação das quatro novas rotatórias até o fim de setembro, pedirá às empresas de ônibus para que reforcem a orientação a seus motoristas.

Veja Mais