Todo espumante é igual? Especialista dá dicas para não errar na escolha

Bebida é a favorita na hora de brindar a chegada de um novo ano ou a realização de um sonho

29/12/2017 - 12:10 - Atualizado em 29/12/2017 - 12:11

Espumante tem variações que vão do sabor seco ao doce (Foto: Shutterstock)

Para brindar a chegada de um novo ano, nenhum ritual combina mais do que 'estourar' uma garrafa de espumante. No mercado, há variações da bebida, também conhecida popularmente como champanhe. Você sabe o que significa cada uma delas?

O sommelier Thiago Martins dos Santos, da Enoteca Decanter, em Santos, explica que a diferença entre os estilos de espumante é a quantidade de açúcar presente em cada uma das nomenclaturas da bebida. Quanto menos açúcar, mais seco é o sabor. 

Os tipos da bebida são: Nature (com de 0 a 3 gramas de açúcar por litro), Extra-Brut (até 6 g/litro), Brut (6 a 15 g/litro), Sec (15 a 20 g/litro), Demi-Sec (20 a 60 g/litro) e Doce (acima de 60 g/litro).

“O espumante é uma bebida muito versátil, pois harmoniza com vários tipos de pratos. Os mais usuais e vendidos no Brasil são o Brut, Demi-Sec e o Doce”, comenta o sommelier.

Já os espumantes do tipo Moscatel, encontrados com frequência em lojas especializadas e mercados, apesar de apresentar como característica o gosto adocicado, não são classificados em Demi-Sec ou Doce. "Moscatel faz parte de uma família de uvas, como Moscato d’Asti, Moscatel branca e Moscatel Rosa, por exemplo, que são muito utilizadas para fazer espumante doce. No Brasil, todo espumante com a descrição Moscatel é doce".

Harmonização

Para acompanhar canapés e petiscos em geral, comuns nas festas de fim de ano, a sugestão do profissional é o Prosecco Brut. “É um espumante bem fresco, com um corpo leve e de fácil aceitação, principalmente para iniciantes”, explica.

Para a ceia clássica de Ano-Novo, com carnes como pernil e tender, por exemplo, o sommelier aponta o Brut Rosé como melhor opção. 

Já as sobremesas pedem equilíbrio entre os níveis de doçura da bebida e da sobremesa. “Um bolo com frutas vai bem com um espumante doce, como os nacionais feitos com a uva moscatel”.

O especialista aponta ainda a temperatura ideal para servir a bebida. "Os espumantes devem ser mantidos a oito graus”, ensina. 

Espumante x champagne

O champagne só pode ser chamado assim se for produzido na França, na região que dá nome à bebida. Em todos os outros lugares, mesmo em outras regiões da França, o correto é chamar de espumante.

"O que aconteceu no Brasil é que alguns produtos nacionais colocaram champanhe, sem o 'g' mudo, mas não é correto, uma vez que este é um produto exclusivo de uma região específica", explica o sommelier.

Veja Mais