São Vicente contrata empresa para ter novo modelo de transporte público

Companhia irá elaborar diagnóstico sobre o transporte que embasará licitação

21/08/2018 - 12:00 - Atualizado em 21/08/2018 - 14:33

Lotações serão substituídas em São Vicente
(Foto: Arquivo/A Tribuna)

A Prefeitura de São Vicente contratou a empresa MFM de Sousa e Engenharia e Construção EPP por R$ 89.950,00 para ter um novo modelo de transporte público. O objetivo é que, até março de 2019, uma permissionária seja selecionada para operar o sistema, em substituição às atuais lotações.

Escolhida em licitação, a MFM irá "fazer uma pesquisa de opinião com os usuários, analisar as linhas e as necessidades de cada bairro e, a partir dos dados colhidos, elaborar o plano de transporte municipal", conforme o secretário de Trânsito e Transportes de São Vicente, Alexandre de Almeida Costa.

Ele destaca que o estudo levará em consideração a futura integração com o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). O modal ainda não é integrado ao transporte vicentino, hoje operado por uma cooperativa de lotações e alvo de muitas reclamações dos passageiros.

Segundo o secretário, o resultado do estudo, previsto para ser concluído em no máximo três meses, irá embasar o edital de concessão do novo transporte público. "Nossa ideia é fazer um transporte de baixo custo com qualidade".

O secretário explica que a contratação de uma empresa para elaboração do estudo é necessária porque a companhia "tem as pessoas técnicas capacitadas para fazer as análises".

Passada a confecção do estudo, a Prefeitura irá mandar projeto de lei para a Câmara de Vereadores para modificar a legislação sobre o transporte municipal e lançar a licitação para escolha da permissionária entre dezembro deste ano e janeiro de 2019.

Se não houver contestações à licitação, conforme Alexandre, a empresa vencedora da concorrência deverá assinar o contrato de permissão com a Prefeitura até março. A partir daí, a permissionária teria ainda um período de implantação para o início efetivo do serviço.

Uma das principais preocupações dos usuários de ônibus é a tarifa. O secretário diz que a intenção da gestão Pedro Gouvêa (MDB) é manter o valor em R$ 3,00, como é hoje, ou muito próximo disso.

Veja Mais