Santos quer ampliar número de leitos dos Estivadores em 60%

Em dezembro, Prefeitura estima finalizar a implantação do futuro centro cirúrgico de baixa complexidade na unidade

10/08/2018 - 08:31 - Atualizado em 10/08/2018 - 08:31

Complexo hospitalar poderá chegar a 131 leitos até 131 leitos (Foto: Nirley Sena/AT)

O Hospital dos Estivadores deve ter ampliados os serviços ofertados à população regional até o final do ano. Em dezembro, a Prefeitura estima finalizar a implantação do futuro centro cirúrgico de baixa complexidade na unidade. A data também vai marcar mais uma etapa do processo de abertura de novos leitos, com o aumento de 60% das vagas clínicas.

Os planos de expansão do complexo hospitalar foram revelados com exclusividade para A Tribuna, na manhã desta quinta-feira (9), pelo secretário municipal da Saúde, Fábio Ferraz, durante assinatura de acordo para realização de estágio na unidade (veja abaixo). A ampliação integra o cronograma para tornar o hospital uma referência regional. A abertura da maternidade, em fevereiro do ano passado, foi o primeiro passo.

De acordo com o titular da pasta, o centro cirúrgico será composto por três salas de operação, capazes de aumentar a quantidade dos procedimentos já realizados. Atualmente, a unidade atende procedimentos de baixa complexidade de natureza obstétrica.

“A previsão é estar com ele (centro cirúrgico) instalado ainda neste ano”, afirma Ferraz. Valores envolvidos e capacidade de atendimento não foram revelados. O custeio, entretanto, terá verbas do Estado e da União, por meio de repasses do SUS.

A futura ala terá condições de realizar procedimentos de especialidades dos quais existe deficit na rede pública. Ferraz explica que a unidade estará habilitada para operações vasculares, hérnia e oftamológicas, como cirurgias de catarata.

“Dentro da pactuação do SUS (Sistema Único de Saúde), não compete ao hospital municipal trabalhar com (operações de) alta complexidade. Mas esperamos realizar uma quantidade expressiva de média e baixa complexidades, com a mesma qualidade que já funciona hoje”, afirma.

Mais leitos

O secretário garante que até o final do ano o complexo terá mais 50 leitos, chegando a 131, no total. “Do ponto de vista financeiro, um hospital tem maior rentabilidade operacional quando supera 100 leitos, assim ocorre uma diluição dos (custos dos) serviços e se otimizam os recursos investidos”, pondera Ferraz.

A ampliação continuará em etapas programadas até atingir 223 leitos. Referência no serviço de maternidade pública da região, o complexo conta atualmente com 81 leitos – 17 de clínica médica, 10 de UTI adulta, oito cirúrgicos, 36 de maternidade, dez de UTI neonatal, cinco salas de parto, pré-parto e pós-parto e duas salas cirúrgicas obstétricas. O custeio da unidade é fracionado entre Prefeitura, Estado e União.

Ferraz afirma que a administração estuda incluir a realização de exames a fim de reduzir o tempo de espera da população. Segundo explica, endoscopias já são realizadas no local. “A intenção é reduzir de forma significativa a fila de espera”.

Convênio

Acordo firmado na manhã de ontem incluiu o Complexo Hospitalar dos Estivadores entre as unidades municipais de saúde que servem para campo de estágio de estudantes. A unidade ajudará na formação anual de 1,1 mil futuros profissionais técnicos e de nível superior do Centro Universitário Lusíada (Unilus).

A instituição de ensino foi a primeira a assinar um termo de compromisso com a Secretaria. Segundo o diretor-geral do hospital, Júlio César Massonetto, a previsão é iniciar o programa no próximo ano. O acordo prevê a participação de alunos dos cursos de Medicina, Enfermagem, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Biomedicina e Técnico em Radiologia.

O reitor da Unilus, Nelson Teixeira, destacou que a parceria faz parte da filosofia da instituição de unir a formação acadêmica de excelência e assistência social. “É bom para a população, que tem um hospital dessa qualidade que se soma à melhoria do aproveitamento curricular (dos estudantes)”.

O secretário de Saúde, Fábio Ferraz, sustenta que o acordo vai ampliar em 56% o número de estudantes que fazem estágio na rede municipal. Atualmente, as unidades médicas santistas empregam nesse regime 2.500 estudantes de sete universidades e instituições de ensino regional – sendo a maioria da Unilus (mais de 900).

Veja Mais