Risco de infarto aumenta durante a Copa do Mundo

Estudo foi realizado por médicos cardiologistas entre 1998 e 2010

21/06/2018 - 21:53 - Atualizado em 22/06/2018 - 15:49

O Brasil enfrentará a Costa Rica às 9 horas desta sexta-feira (22), e haja coração na espera pela primeira vitória da Seleção canarinha. Médicos cardiologistas alertam que os casos de infarto aumentam entre 4% e 8% durante a Copa do Mundo, segundo pesquisas. Então é preciso se cuidar para curtir a festa do futebol com saúde, até a final. 

Um trabalho divulgado pela Faculdade de Medicina da UPS de Ribeirão Preto pesquisou a incidência de infartos entre os anos de 1998 a 2010, ou seja, por quatro Copas do Mundo. Os pesquisadores usaram dados do DataSUS e observaram que nos mais de 100 mil pacientes pesquisados houve de 4% a 8% mais infartos nos dias de jogos do Brasil que em outros dias. A maior incidência foi no sexo masculino, com idade média de 60 anos. 

Outro estudo, este da Alemanha, correlacionou atendimentos emergenciais por arritmias cardíacas graves entre 2003 e 2005, ou seja, com e sem Copa. Lá houve aumento de 17% nas emergências desse tipo durante os jogos.

Torcer é essencial, assim como respirar e acalmar os ânimos  (Foto: Irandy Ribas/AT)

Rica Buchler, cardiologista do corpo clínico do Alta Excelência Diagnóstica lembra que não é preciso ficar sem assistir às partidas. “Mas sabemos que no estudo da Alemanha, 47% dos pacientes que tiveram problemas sabiam que eram cardíacos. Ou seja, é tomar cuidado para não ter o gatilho”, diz, explicando que os casos ocorrem quando há predisposição ou outras doenças associadas, como hipertensão, diabetes entre outros problemas.

Consulta regular

Segundo ela, o mais importante, portanto, é ir ao médico regularmente e, caso descoberta uma hipertensão ou problema do coração, manter-se com o check-up em dia, seguindo a orientação de medicamentos, boa alimentação e exercícios. 

“Mas a gente sabe que às vezes, no mundo real, não é assim. Então o jeito é evitar exageros, principalmente no dia dos jogos, como frituras e bebida”, conta a profissional, indicando que uma coxinha ou uma latinha de bebida não é um problema. Várias, sim. 

Sobre frituras e álcool, o Hospital do Coração, em São Paulo, também alerta, já que alguns alimentos podem elevar a pressão arterial. Mas quase ninguém lembra de chás, refrigerantes e e até certos chocolates que, pela quantidade de cafeína, facilitando arritmias.

Pedro Gregorio Mekhitarian, da rede de Hospitais São Camilo, de São Paulo, dá outra dica: lembrar que é só um jogo. “É preciso separar as emoções. Já que sofrer um gol faz parte do roteiro, respirar fundo e de forma pausada durante a partida ajuda a reduzir o estresse”.

De qualquer forma, são sintomas de infarto dor no peito, falta de ar súbito, dor forte na mandíbula ou boca do estômago, entre as escápulas (nas costas), além de dor de cabeça forte, visão turva, dificuldade para falar, peso de um lado do corpo. A indicação é para procurar o pronto-socorro sempre que os sintomas começarem, juntos ou não. “Às vezes o sintoma é fraco, mas a evolução do quadro, grave e rápida”, lembra Buchler.

Veja Mais