Revisão do edital não muda trajeto do VLT

O investimento estimado para a implantação da segunda fase do projeto é de R$ 280 milhões

12/07/2018 - 22:51 - Atualizado em 12/07/2018 - 23:13

Segunda fase permitirá a construção de
 8 quilômetros de extensão  (Arquivo/AT)

A revisão no edital das obras para a segunda fase do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) feita pela Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) não traz qualquer alteração no trajeto a ser percorrido pelo VLT, assim como no número de estações projetadas e nos prazos divulgados anteriormente. As mudanças feitas partiram de questionamentos e sugestões técnicas enviadas por interessados em participar do processo licitatório.

O trecho em questão ligará a Avenida Conselheiro Nébias até o Valongo. Ao todo, serão 8 quilômetros de extensão e 14 estações de embarque e desembarque. A entrega das propostas está marcada para o dia 28 de agosto e os trabalhos têm previsão de início até o final deste ano.

A apresentação das propostas das empresas interessadas em tirar do papel a nova fase do VLT estava marcada para o início de maio. Dois consórcios, no entanto, questionaram o teor do documento e conseguiram adiar para 19 de junho a abertura oficial das propostas.

No dia 7 de junho, contudo, a EMTU acatou a defesa dessas empresas e impugnou o edital. Na ocasião, o órgão entendeu ser exagerada a quantidade de atestados para a comprovação da capacidade técnica das empreiteiras que demonstraram interesse pela implantação do modal. 

O investimento estimado para a implantação da segunda fase do VLT é de R$ 280 milhões. O sistema atualmente transporta 23 mil passageiros por dia. Com os dois trechos São Vicente (Terminal Barreiros) - Porto e Conselheiros Nébias - Valongo, em Santos, serão transportados, em média, 70 mil passageiros.

Veja Mais