Raia manta rara é avistada por pesquisadores na costa de Itanhaém

Exemplar, totalmente negro, era uma fêmea e tinha aproximadamente 5 metros de envergadura

19/07/2018 - 17:10 - Atualizado em 19/07/2018 - 17:23

Pescador avisou pesquisadores da localização do animal no Parcel Dom Pedro II (Foto: Nauther Andrés/Mantas do Brasil)

Pesquisadores do Projeto Mantas do Brasil avistaram, na última quarta-feira (18), uma rara raia da espécie manta gigante (Mobula birostris), próximo ao Parcel Dom Pedro II, na costa de Itanhaém. Essa foi a quinta aparição do exemplar totalmente negro, também chamada de melanística, no Litoral de São Paulo. 

Segundo informações da coordenadora administrativa do Mantas do Brasil, Paula Romano, o animal, uma fêmea, de aproximadamente 5 metros de envergadura, teria sido avistada no local, na véspera, por um pescador. 

“Ontem, fomos verificar e acabamos tendo a sorte de ver este lindo animal, que por sorte, estava bem saudável”, conta a especialista, lembrando que é comum raias desta espécie serem encontradas com cicatrizes e machucados, oriundos de petrechos de pesca enroscados. 

“Para se ter uma ideia, dos 157 animais que temos hoje registrados em nosso litoral, 40% tinham algum sinal ou cicatriz”. 

Temporada

O registro no Parcel Dom Pedro II foi o primeiro da temporada, que acontece durante o inverno. de acordo com Paula Romano. “Tivemos outros dois registros de raia manta desde junho, um no Parque Estadual Marinho da Laje de Santos (PEMLS) e outro na Ilha da Queimada Grande, nas proximidades de Peruíbe”. 

Ainda conforme a coordenadora do Mantas do Brasil, um dos animais avistados despertou a preocupação de pesquisadores do projeto. “Vimos que ela estava com petrechos de pesca enroscados, mas não conseguimos tirar”. 

Desde 2013, é crime ambiental pescar, embarcar ou comercializar a espécie. O flagrante pode ocasionar a prisão do infrator. A raia manta, que está em risco de extinção, pode atingir 7 metros de envergadura e pesar até 2 toneladas. 

Veja Mais