Processo seletivo da Educação em São Vicente tem novas provas neste domingo

São 45% menos inscritos que na primeira seleção, cancelada após reclamações de candidatos

10/01/2018 - 11:43 - Atualizado em 10/01/2018 - 11:46

Os cargos, que são de nível médio, têm salários de
R$ 1240 a R$ 1550 (Foto: Arquivo)

Este domingo (14) será dia de provas para 3.874 inscritos no processo seletivo da Educação em São Vicente. O número de participantes é 45% menor do que o da primeira seleção, cancelada após reclamação de candidatos quanto à falta de transparência.

O processo seletivo é para preencher 120 vagas para auxiliar de cozinha, 150 para auxiliar de serviços gerais, 60 em atendente de secretaria e 120 de atendente de Educação. Os cargos, de níveis Fundamental e Médio, têm salários de R$ 1.240 a R$ 1.550.

O exame, que será aplicado na Unibr de manhã e à tarde, será a primeira fase da seleção. Depois, haverá a etapa de comprovação de experiência. Estarão habilitados para a fase seguinte os candidatos que conseguirem ao menos 50% de aproveitamento da maior nota no respectivo cargo.O número de pontos a serem atribuídos dependerá do tempo de experiência do candidato na função.

Os primeiros a fazer a prova serão aqueles que estão concorrendo aos cargos de auxiliar de cozinha e atendente de Educação. Para esses, os portões serão abertos às 8h30 e fechados às 9 horas em ponto.

De tarde, será a vez dos inscritos para auxiliar de serviços gerais e atendente de secretaria. A entrada será permitida das 12h30 às 13 horas. No quadro acima tem as informações da prova.

Cancelamento

Selecionada pela Prefeitura de São Vicente para providenciar a contratação de funcionários para as escolas municipais, a União pela Beneficência Comunitária e Saúde (Unisau) teve de refazer o processo seletivo depois de alguns candidatos reclamarem da falta de transparência no processo.

Eles tinham ido muito bem na prova e caíram na classificação final após a entrega dos currículos, sem uma justificativa. Naquela ocasião, foram 6.748 participantes.

O assunto chegou ao Ministério Público do Estado (MPE) e, diante da polêmica, a Unisau resolveu fazer o processo todo de novo, com regras mais claras no edital desta vez.

A gestão do prefeito Pedro Gouvêa (MDB) contratou uma organização social para atuar nas escolas para encerrar o modelo de convênios com as Associações de Pais e Mestres (APMs), que inclusive motivou uma ação no MPE por conta de irregularidades de 2012 a 2016.

Veja Mais