Caminhoneiros liberam passagem de veículos da Terracom

Serviço de coleta de lixo esteve interrompido desde a noite de segunda-feira, em razão do protesto

22/05/2018 - 17:37 - Atualizado em 22/05/2018 - 21:16

Serviço foi interrompido em razão do protesto de caminhoneiros na Alemoa (Foto: Carlos Nogueira/AT)

Os veículos da Terracom conseguiram passar pelo bloqueio dos caminhoneiros, que protestam contra o valor do Diesel, pedágio e frete,  com a ajuda da Polícia Militar. As carretas seguiram em direção ao Aterro Sitio das Neves. A coleta de  lixo foi retomada agora a noite, com prioridade para os locais que não tinham recebido o serviço anteriormente. 

Nesta quarta-feira (23), haverá coleta parcial, até que os caminhões fiquem cheios novamente, pois a liberação para passagem dos caminhões da Terracom era apenas para esta noite. Na quarta, teremos que negociar a passagem pelo bloqueio novamente.

Negociação

Durante todo o dia, a Prefeitura de Santos e a Terracom solicitaram a intervenção da Polícia Militar para tentar garantir o acesso dos caminhões da empresa à área de transbordo dos resíduos no bairro da Alemoa. 

 

Desde a noite de segunda-feira (21), a coleta de lixo domiciliar no Município esteve paralisada. Isso aconteceu porque caminhoneiros autônomos, que atuam no Porto de Santos, realizam um bloqueio nas imediações do viaduto da Alemoa. 

A Reportagem apurou junto à Terracom, que no final desta tarde, vinte caminhões, que já haviam feito a coleta de lixo na Cidade mais cedo, haviam deixado a sede da empresa, no Jabaquara, rumo à área de transbordo. Eles foram escoltados por viaturas da PM até o terreno para desembarque do material. Somente à noite, porém, eles foram liberados para descarregar os caminhões. 

Conforme balanço divulgado pela Administração Municipal, cerca de 450 toneladas de lixo não puderam ser recolhidas, em razão do protesto dos caminhoneiros.   

Na Cidade, além da coleta de lixo domiciliar, também estão temporariamente interrompidos os serviços de tapa-buraco, coleta seletiva e cata-treco.  A orientação da Prefeitura é de que a população evite colocar lixo nas ruas enquanto a situação não for solucionada.  

Os caminhoneiros autônomos protestam contra o aumento semanal do preço do óleo diesel, a cobrança dos eixos erguidos nos pedágios e por uma tabela uniforme nos valores dos fretes. Eles reivindicam ainda melhorias nas paradas de descansos obrigatórios.

Veja Mais