Praia Grande aumenta passagem de ônibus de R$ 3,85 para R$ 4,05

Gestão Alberto Mourão sobe tarifa em 5,2%, mais do que a inflação dos últimos 12 meses

28/12/2017 - 20:06 - Atualizado em 28/12/2017 - 20:41

Passagem dos ônibus de Praia Grande ficará mais cara (Foto: Alexsander Ferraz/A Tribuna/Arquivo)

Os moradores de Praia Grande começarão 2018 pagando R$ 0,20 a mais na tarifa do transporte público municipal. A Prefeitura anunciou na noite desta quinta-feira (28) o reajuste da passagem dos ônibus de R$ 3,85 para R$ 4,05 - aumento de 5,2%, acima da inflação - a partir da zero hora de segunda-feira (1º).

De acordo com comunicado da gestão Alberto Mourão (PSDB), a elevação dos preços do combustível e do pneu e das despesas com funcionários e a diminuição no número de usuários impactaram no custo final da tarifa.

O percentual de aumento é maior do que a inflação dos últimos 12 meses. O reajuste anterior no transporte coletivo de Praia Grande, operado pela Viação Piracicabana, havia ocorrido em dezembro de 2016.

Os dados da inflação oficial de dezembro deste ano ainda não saíram, mas o Índice Nacional de Preços ao Consumidor - Amplo 15 (IPCA-15), que é considerado a prévia, fechou 2017 com elevação de 2,94%.

A Prefeitura aponta que houve, nos últimos 12 meses, reajuste de 11,81% no valor do combustível e 4,78% no preço do pneu e aumento salarial de 4% para os funcionários. Conforme a Administração Municipal, ocorreu ainda uma queda no número de passageiros no transporte.

Na nota à imprensa, a gestão Alberto Mourão citou melhorias no sistema, como a troca dos validadores por equipamentos mais modernos, a implantação de biometria nos veículos para melhor controle das gratuidades e a alimentação do aplicativo "Quanto tempo falta PG", que mostra aos usuários os horários dos ônibus.

Outras cidades

Praia Grande é a segunda cidade da Baixada Santista a anunciar reajuste na passagem do transporte coletivo. Em Cubatão, a tarifa dos ônibus e das lotações subiu, no último sábado (23), de R$ 3,20 para R$ 3,40 - alta de 6,25%.

Em Santos, onde há uma ação judicial da Defensoria Pública em andamento questionando o aumento de R$ 0,60 aplicado no início deste ano, a gestão Paulo Alexandre Barbosa (PSDB) está estudando o reajuste para 2018.

Nos demais municípios, as prefeituras ainda não informaram sobre elevações na tarifa. Em Itanhaém, a gestão Marco Aurélio (PSDB) já cravou que não haverá aumento para o próximo ano.

Veja Mais