Peruíbe abre museu histórico neste domingo

Edifício de 1914, fica na antiga Estação Ferroviária da Cidade, na Rua da Estação, no Centro

23/06/2018 - 20:53 - Atualizado em 24/06/2018 - 07:15

Museu tem registros da presença indígena na região, além de fotos e artigos da época do descobrimento  (Foto: Divulgação)

Um retorno de mais de 5 mil anos ao passado. Esta é a proposta da Prefeitura de Peruíbe, que inaugura, neste domingo, às 10 horas, o Museu Histórico e Arqueológico Municipal.

A atração fica na antiga Estação Ferroviária da Cidade (Rua da Estação, Centro). Segundo o secretário municipal de Turismo, Eduardo Ribas, o edifício, datado de 1914, reúne artigos de até cinco milênios da região. “São coisas que aconteceram na Jureia, no Vale do Ribeira e na Baixada Santista, desde o período pré-colonial, com material em sambaquis”.

Os sambaquis são enormes montanhas erguidas em baías, praias ou na foz de grandes rios por povos que habitaram o litoral do Brasil na Pré-História. Eles são formados principalmente por cascas de moluscos – a origem tupi da palavra sambaqui significa “amontoado de conchas”. Também contêm ossos de mamíferos, equipamentos primitivos de pesca e, até, objetos de arte.

Dupla finalidade 

Segundo Ribas, o diferencial do museu de Peruíbe consiste em ser arqueológico e histórico. Há, também, registros da presença indígena na região, com fotos e artigos que remontam à chegada dos portugueses ao Brasil. Há garrafas antigas e utensílios do período colonial também.

“Temos história recente e nem tão recente, o mapeamento de todo o sítio arqueológico”, salienta.

Ribas explica que o museu foi montado em 2004 pelo arqueólogo Plácido Cali, que tem um trabalho extenso na região da Jureia e trabalhou em diversos institutos históricos.

Reinauguração

O museu estava fechado por causa de questões de conservação do prédio e por segurança. Segundo o secretário, hoje há um posto da Guarda Municipal ao lado do museu. “Foi feita uma reforma, e ele está sendo reaberto à população”.

Eduardo Ribas afirma que o museu vai funcionar diariamente, das 9 às 16 horas, com o objetivo de atender turistas e estudantes.

"A gente está desenvolvendo uma parceria com a Secretaria de Educação, para que as escolas públicas visitem o museu de uma forma coordenada, em conjunto com as Ruínas do Abarebebê”, afirma. Por enquanto, a Prefeitura não cobrará ingresso pela atração.

Veja Mais