Obras na Rio-Santos não saem do papel após terem sido anunciadas em 2013

Rodovia tem muitos acidentes e é classificada por prefeito de Bertioga como "cicatriz urbana"

12/08/2017 - 16:34 - Atualizado em 12/08/2017 - 16:34

Apesar do clamor de turistas, moradores e autoridades do Litoral Norte pela duplicação de trechos da Rodovia Doutor Manoel Hyppolito do Rego, mais conhecida como Rio-Santos, não há previsão de quando o Governo do Estado tirará do papel as obras para melhorias anunciadas em 2013. Motivo: falta de dinheiro.

Enquanto isso, muitos pedestres seguem se arriscando para cruzar a estrada, que carece de melhor iluminação em vários pontos. E os motoristas, principalmente aos fins de semana prolongados e períodos de férias, precisam ter paciência para superar a lentidão na pista.

Pior: os acidentes na via são uma rotina. De janeiro a julho deste ano, foram 565 casos registrados, segundo a Polícia Militar Rodoviária (PMR). Nesse período, 14 pessoas morreram, 269 tiveram ferimentos leves e 67 se machucaram gravemente. Quem passa pela rodovia pode observar várias cruzes fixadas em homenagem aos mortos.

A resposta do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) encaminhada à Reportagem nesta semana é praticamente a mesma enviada em maio do ano passado, quando A Tribuna fez ampla reportagem sobre a modernização da Rio-Santos.

O órgão estadual admite que ainda está trabalhando no planejamento das melhorias da rodovia para que verba seja reservada, o que possibilitará a contratação de uma empresa para a elaboração do Estudo e Relatório de Impacto Ambiental (EIA/Rima). Esse documento está orçado em cerca de R$ 2 milhões. 

Cruz à beira da estrada em homenagem a uma vítima de acidente de trânsito (Foto: Rogério Soares)

Expectativa

O prefeito de Bertioga, Caio Matheus (PSDB), lembra que a remodelação da Rio-Santos é uma antiga reivindicação. A proposta contempla passagens inferiores, com levantamento da rodovia, e ligação de um lado da pista, em nível rebaixado, para acabar com o isolamento dos bairros que são separados pela via.

"A realização dessa obra trará muitos benefícios para Bertioga, como a melhora do fluxo urbano, mais segurança no trânsito de pedestres, ciclistas e motoristas na área urbana da Cidade, além de agilizar o tráfego na estrada", destaca.

Matheus recebeu nessa sexta-feira (11) o superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) no Estado, Roberto Menezes Ravagnani, e pediu agilidade na análise de um projeto em um trecho do Município cortado pela Rio-Santos.

A ideia é introduzir paisagismo na área central do trevo de acesso à Cidade, na Avenida 19 de Maio, e uma avenida marginal, visando melhorar o acesso à 19 de Maio, o que dará mais segurança a motoristas, ciclistas e pedestres.

A Administração Municipal vem fazendo intervenções, como a melhoria da iluminação de trevos onde há grande passagem de pedestres de um lado da rodovia para o outro.

Por exemplo, o trecho da Ponte do Rio Itapanhaú ao trevo Jardim São Rafael, passando pelo Sesc, pela entrada da Cidade e por Vicente de Carvalho II, receberá iluminação de LED.

Além disso, a Prefeitura está fazendo a pavimentação da Avenida Marginal Norte, no Bairro Chácaras, o que evitará com que os motoristas precisem acessar constantemente a rodovia para se locomover naquela região. 

Aconteceram 565 acidentes na Rodovia nos primeiros sete meses deste ano (Foto: Rogério Soares)

Paliativo

O Departamento de Estradas de Rodagem (DER) informou que, entre 2011 e 2014, foram investidos mais de R$ 145 milhões em obras viárias nas rodovias Rio-Santos e Padre Manuel da Nóbrega. Ao todo, foram 27 intervenções. Desde 2015, o DER concluiu quatro obras para contenção de taludes e melhorias no sistema de drenagem em Caraguatatuba, São Sebastião e Pedro de Toledo.

O DER também justificou que mantém nas rodovias serviços de manutenção e conservação, com tapa-buraco, limpeza, roçada e poda. "Ainda para manter a segurança de motoristas e usuários, toda a sinalização da rodovia foi revitalizada e contou com a implantação de 53 novos radares para controle do excesso de velocidade", destacou.

Saúde

Caio Matheus classificou a Rodovia Rio-Santos como "uma verdadeira cicatriz urbana" no Município. Por causa dos constantes acidentes na entrada, que geram impactos no sistema de atendimento emergencial, ele afirmou estar trabalhando para ampliar o Hospital Municipal, com a instalação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Conforme o chefe do Executivo, a Cidade precisa de mais suporte nos serviços de média e alta complexidades, porque, em casos de politraumatismo ou necessidade de cirurgias mais complexas, com necessidade de UTI, o paciente é transferido para outras unidades da região.

"No atendimento de emergência, são feitas a estabilização e a manutenção da vida. Em alguns casos, com tratamento definitivo e, em outros, com transferência para unidades hospitalares de referência. Para isso, temos equipe em plantão 24 horas, com médico emergencista, cirurgião geral e ortopedista".

Veja Mais