Lei determina dispositivo de proteção em piscinas de Santos

Medida foi tomada para evitar que ocorram acidentes

04/05/2016 - 08:21 - Atualizado em 04/05/2016 - 08:27
Descumprimento poderá gerar multa de R$ 2 mil
ao responsável pela piscina (Foto: Fernanda Luz)

Uma nova lei entrou em vigor em Santos ontem. Sancionada pelo prefeito Paulo Alexandre Barbosa, baseada em projeto do vereador José Lascane (ambos do PSDB), a legislação obriga a instalação de um dispositivo de segurança em áreas de piscina.

Essa medida foi tomada para evitar que acidentes sejam causados em piscinas. Assim, o funcionamento da motobomba será interrompido, impedindo geração, transmissão e distribuição da energia elétrica toda vez que houver casos de obstrução da sucção de drenos, acidentes e outras ocorrências que coloquem em risco os banhistas.

O descumprimento da lei pode levar à aplicação de uma multa de R$ 2 mil ao responsável pela piscina.

O produto

Porém, para o cumprimento da lei, os proprietários de piscinas devem adquirir o dispositivo citado na lei para a instalação, conforme indicado.

O gerente comercial da Acquamondo Piscinas, Henrique Fernandes, explica que o custo médio da instalação de equipamentos de segurança é de R$ 100,00.

“A tampa FSB, que é específica para evitar acidentes, como não prender o cabelo no ralo, custa R$ 55,00. Com a grade, para fazer buraco no chão, mais R$ 44,00”, descreve.

Os acessórios podem ser encontrados em qualquer loja onde se comercializam produtos para piscinas.

Veja Mais