Já deu uma boa gargalhada hoje? Médico confirma que rir faz bem para a saúde

No Dia Nacional do Riso, celebrado nesta segunda, especialista fala sobre a importância do bom humor

06/11/2017 - 10:16 - Atualizado em 06/11/2017 - 10:40

Dar uma boa gargalhada pode reduzir a sensação de dor (Foto: Shutterstock)

Com certeza você já ouviu alguém dizer que rir é o melhor remédio, não é mesmo? A frase é verdadeira e também comprovada pela medicina: rir faz bem para as saúdes física, mental e também social.

O riso aumenta os níveis de dopamina, substância ligada ao prazer e o responsável pela alegria. Ela age no cérebro e diminui os níveis de estresse. E tem mais: dar uma gargalhada pode reduzir a sensação de dor. A endorfina liberada no corpo cria um estado leve de euforia e tem ação analgésica, amenizando o incômodo.

Médico, psicólogo e blogueiro do Mais Saúde, Roberto Debski explica que, quando nós rimos, o organismo consegue atingir equilíbrio e libera várias substâncias neurotransmissoras que trazem uma melhor percepção de bem-estar, alegria, felicidade e relaxamento.

"O riso melhora o metabolismo, os hormônios e a imunidade. Pode sim ajudar no tratamento de doenças, claro, que em conjunto com outros tratamentos convencionais. Trata-se de uma prática complementar e integrativa, que reduz sintomas emocionais, como ansiedade, estresse e o medo".

O bom humor é um dos fatores importantes para melhorar a resiliência, que é a capacidade emocional de lidar com dificuldades, pressões, perdas e voltar a entrar em um estágio de equilíbrio. Com isso, nos tornarmos mais fortes.

O especialista explica que a terapia do riso pode ser feita com algum profissional que trabalhe na área ou buscando situações que auxiliem a melhora do humor. "Podem ser filmes agradáveis, comédias, ou até mesmo estar perto de pessoas que tenha bom humor e sejam positivas". 

Para Debski, o ideal é resgatar nossa criança interior. "Quando somos crianças, costumamos ter um riso mais fácil. A criança é mais simples e costuma ver a vida de uma forma positiva. Por isso, ela consegue rir muito mais que o adulto. Nós precisamos resgatar essa criança interior, a criatividade, o bom humor, a alegria e se alegrar pelo simples. Isso tem um grande poder terapêutico na vida da gente".

Sorrisos compartilhados

Quem também defende a tese de que sorrir faz bem à saúde é a analista de Recursos Humanos Luciana Santos Menezes, de 35 anos. Ela é voluntária há dois anos na Clínicos da Risada, um grupo de pessoas que leva alegria para pacientes do Hospital Irmã Dulce, em Praia Grande.

"É muito gratificante ver o sorriso deles quando estamos por lá. Muitos se sentem abandonados, estão desiludidos. Tem quem peça apenas um abraço. Penso que todo hospital deveria ter projetos como o nosso". 

Os voluntários Juliana de Souza, Leandro Cardoso, Luciana Menezes e Roberta Lopes (Foto: Divulgação) 

 

Para Luciana, é nítido como a alegria melhora a vida das pessoas. "Às vezes, alguns pacientes não conseguem dormir ou se sentem mal por conta da situação que estão vivendo e, no final, você vê o sorriso e esperança nos olhos deles".

O bem, neste caso, não se limita apenas aos pacientes, mas também ao grupo que visita a unidade de saúde aos finais de semana. "No começo, você pensa que está lá só para ajudar, mas recebemos muito mais em troca. Hoje, dou valor as coisas simples. Temos um retorno muito gratificante".  

Veja Mais