Imagens mostram agressão a servidoras em unidade de saúde de Santos

De acordo com a Prefeitura, licitação será aberta para implantar segurança privada no local

13/08/2018 - 18:41 - Atualizado em 13/08/2018 - 21:02

Filhas de paciente agrediram servidoras por possível grosseria com o pai (Foto: Reprodução/ Youtube)

A Prefeitura de Santos divulgou, na tarde desta segunda-feira (13), imagens do momento em que servidoras do Complexo Hospitalar da Zona Noroeste são agredidas pelas filhas de um paciente que estava internado no Pronto-Socorro (PS). Segundo a Administração Municipal, a unidade de saúde terá vigilância ampliada por meio da contratação de segurança privada.

O caso ocorreu na última sexta-feira (10). Pelo vídeo, é possível ver o momento em que uma das servidoras é agredida e tem o cabelo puxado. O homem que aparece no meio da briga é o pai das agressoras. Em seguida, em nova sequência de imagens, as mesmas pessoas aparecem agredindo outra servidora. 

Segundo o secretário de Saúde, Fábio Ferraz, o paciente estava internado por conta de queimaduras. O episódio ocorreu, de acordo com o secretário, depois que o paciente tirava dúvidas com as filhas, que estavam em uma sala de acompanhamento médico.

''O homem entrou na sala para falar com as filhas e a enfermeira pediu que ele esperasse lá fora. As mulheres não gostaram da maneira como a profissional falou e a agrediram".

Em outro momento, uma técnica de gesso teria sido atingida pelas acompanhantes do paciente. Uma das agressoras tenta, mesmo com uma criança no colo, desferir um tapa na profissional, mas sem sucesso. De acordo com o secretário de Saúde, as duas funcionárias tiveram pequenas lesões, mas estão traumatizadas após o episódio.

"É lamentável que este tipo de situação aconteça. É inconcebível que profissionais de saúde sejam agredidos no exercício do seu trabalho", disse Ferraz.

Medidas de segurança

Em reunião com chefias e servidores no complexo hospitalar, a Secretaria Municipal de Saúde de Santos decidiu abrir processo licitatório para contratar seguranças terceirizados para a unidade. A medida vai valer exclusivamente para o PS da Zona Noroeste.

Segundo Fábio Ferraz, o objetivo é admitir cerca de 40 profissionais para atender de oito a dez postos de monitoramento da unidade, que vão trabalhar no esquema 12 por 36 horas. 

"Esta é parte das medidas de segurança que estamos implantando na unidade. Já fizemos identificação para todos os servidores, colocamos 27 câmera de monitoramento e vamos montar postos de vigilância nas partes interna e externa do complexo hospitalar".

Segundo a secretaria, a licitação será convocada por meio de um edital simples e deve ocorrer ainda neste ano. 

Confira vídeo na íntegra:



Veja Mais