Hospital Santo Amaro reestrutura atendimento e só atende pacientes do SUS

Serviço particular é oferecido no mesmo prédio, no Hospital Don Domênico

08/02/2018 - 07:21 - Atualizado em 08/02/2018 - 07:28

Hoje, praticamente 85% do atendimento do hospital é SUS (Foto: Rogério Soares/AT)

Os usuários que antes iam procurar o serviço de saúde particular ou por convênio do Hospital Santo Amaro (HSA), em Guarujá, precisarão se acostumar com um novo nome: Hospital Don Domênico (HDD). É que o Santo Amaro passou a atender somente pelo Sistema Único de Saúde (SUS) desde o dia 1º de fevereiro. 

Na prática, por enquanto, só o nome muda. Quem precisar do serviço particular deve se dirigir ao mesmo prédio do Hospital Santo Amaro. Mas, juridicamente, os serviços se separaram. Foi criado um novo CNPJ para a nova empresa que vai administrar as finanças em separado ao atendimento do SUS.

O motivo da mudança, de acordo com o Hospital Santo Amaro, é a busca por parceiros iniciada ano passado, quando a instituição precisou melhorar a infraestrutura do hospital e minimizar problemas, já que, assim como outros filantrópicos, o HSA passa por dificuldades.

A necessidade se dá principalmente após um aumento de demanda vinda de cidades cujos hospitais de referência fecharam. Hoje, praticamente 85% do atendimento do Hospital Santo Amaro é SUS, e o restante, particular.

Mais mudanças em curso

Em contrapartida, o HSA, que atenderá somente SUS a partir de agora, espera uma novidade do Ministério da Educação (MEC). É que a Unoeste, universidade particular que está se instalando na Cidade, montou lá um hospital-escola. Enquanto não tem ainda os alunos, a instituição paga pela locação do espaço. 

O pró-reitor acadêmico José Eduardo Creste explica: “A Unoeste alugou uma parte do Hospital Santo Amaro para iniciar a Faculdade de Medicina de Guarujá, até que a área própria da universidade seja construída. O hospital será campo de estágio para o internato da Medicina”. Ele conta que o investimento, só em infraestrutura, sem contar terreno e equipamentos, foi de aproximadamente R$ 25 milhões. 

Quando a universidade começar a funcionar, alunos deverão também auxiliar no atendimento à população. Além disso, a chegada de um hospital escola garante novos subsídios ao hospital público, que já recebe custeios municipal e federal. 

Por enquanto, a Unoeste aguarda a publicação no Diário Oficial da União de autorização de funcionamento para lançar vestibular. Em dezembro, o MEC realizou vistoria nas novas dependências.

Veja Mais