Grupo de comerciantes quer recuperar o Centro santista

Eles planejam resgatar o vigor econômico da área com um shopping no Centro Histórico

19/03/2017 - 17:14 - Atualizado em 19/03/2017 - 18:13
Ideia é criar estabelecimento que abra de segunda a sábado, nas ruas centrais da Cidade
(Foto: Carlos Nogueira)

Um grupo de comerciantes está lançando um movimento pela recuperação do Centro comercial de Santos. Seu objetivo é pôr em prática o projeto Shopping no Centro Histórico Comercial, uma espécie de concentração de lojas de todo tipo de produto, de segunda-feira a sábado, das 9 às 18 horas, nas ruas centrais de Santos. E já existe um esboço de slogan: “A sua loja a céu aberto”.

Haveria atrativos, como promoções comerciais, centros de lazer para famílias, um espaço gastronômico baseado na culinária apreciada pelos turistas e pontos de atração, como a Bolsa Oficial de Café e passeio de bonde pela área preservada. 

O alvo é recuperar o antigo frequentador da área e renovar o público, a partir dos trabalhadores da área central e de quem visita turisticamente a Cidade, mediante o que os comerciantes idealizam como o melhor, mais seguro e lucrativo polo comercial da região. 

A meta mais otimista dos organizadores desse movimento é triplicar o lucro líquido dos estabelecimentos localizados na região da Praça dos Andradas, da Avenida São Francisco, das ruas João Pessoa, General Câmara, Braz Cubas, da Praça da República, da Rua do Comércio e da zona histórica.

“O momento é este, em que estamos espantando a crise, e a recessão apresenta todos os sinais de que está chegando ao fim”, diz Paulo Latrova, um dos idealizadores. “Não podemos dormir na crise”.

Décadas de tradição

A história mostra o quanto havia movimento de fregueses no Centro e assim foi por décadas. 

Em 1933, a esquina da Rua do Comércio com a Praça Rui Barbosa vivia os tempos da praça cafeeira e de moradias que se estabeleceram no entorno da área central. 

Um postal dessa época, hoje na coleção do jornalista José Carlos Silvares, mostra o trecho da Rua do Comércio, mais conhecida como a Rua do Café, por concentrar firmas exportadoras do produto, agências de navegação, escritórios de corretores, consulados, armazéns gerais, lojas e restaurantes. 

No lugar do Empório Sul-Rio-Grandense, funcionaria, nas décadas seguintes, a loja Ao Camiseiro, na esquina da Praça Rui Barbosa, tendo à frente o hoje centenário Café Paulista.

Pelo menos até a década de 1980, santistas e moradores de cidades vizinhas (São Vicente, Cubatão e Guarujá) mantiveram o costume de sair cedo para dizer a vizinhos que “iam fazer compras na cidade”. 

A “cidade” era o centro comercial de Santos. O declínio da era do café, a diversificação das atividades portuárias e o surgimento de centros comerciais nos novos bairros residenciais e, também, nas cidades vizinhas levaram o Centro a um declínio que se agrava a cada ano. 

Veja Mais