Funcionários de creches de São Vicente fazem protesto após demissões

Contratados por meio de parceria com associação, eles foram desligados na última segunda

07/12/2017 - 11:57 - Atualizado em 07/12/2017 - 12:31

Protesto reuniu cerca de 100 trabalhadores (Foto: Carlos Nogueira/AT)

Cerca de 100 funcionárias de 80 creches municipais de São Vicente, que tiveram seus contratos encerrados, participaram de uma manifestação, na manhã desta quinta-feira (6), em frente ao Paço Municipal. De lá, os trabalhadores saíram em passeata até a sede da Câmara Municipal. 

Contratados por meio de uma parceria da Prefeitura com a Sociedade Amigos da Vila Ema, em regime CLT, eles foram comunicados do desligamento na última segunda-feira (4).  

As demissões ocorrem após o modelo de administração de escolas e creches adotados no Município ter parado na Justiça. O Ministério Público do Estado (MPE) iniciou uma ação civil de improbidade administrativa contra o ex-prefeito Luís Cláudio Bili e quatro ex-secretários municipais de Educação por conta de ilegalidades nos convênios com Associações de Pais e Mestres (APMs) e entidades.

De acordo com a denúncia do MPE, a Prefeitura fazia os convênios sem licitação ou processo de seleção. Pelo sistema, que está em vigor mas será encerrado ao fim deste ano, a Administração Municipal repassa dinheiro às APMs para a contratação de funcionários nas escolas municipais e às associações responsáveis por creches.

Conforme noticiado por A Tribuna, a última renovação dos convênios ocorreu em 2016, vigorando até 31 de dezembro deste ano. A  Administração vinha desembolsando R$ 4 milhões por mês para repassar às associações, responsáveis por 60 escolas municipais e 59 creches.

Para 2018, os funcionários das unidades de Educação serão contratados pela União Pela Beneficência Comunitária e Saúde (Unisau), vencedora da licitação para prestação desse serviço.  

Em entrevista à Reportagem, o secretário-executivo, Jefferson Geraldo Teixeira afirmou que, apesar do desligamento, serão pagos o 13º e o salário de dezembro, normalmente. Apenas os salários atrasados precisarão ser renegociados com o sindicato. Uma reunião deverá ocorrer nesta sexta-feira (8), às 10 horas, com representantes dos trabalhadores. Ainda conforme o secretário, serão contratadas aproximadamente 950 funcionários para diversas funções.  

*Com informações de Bruno Lima

Veja Mais