Forte nevoeiro interrompe travessias de balsas e fecha Canal do Porto

Catraias seguiram funcionando, mas registraram filas no começo da manhã

30/08/2018 - 08:33 - Atualizado em 30/08/2018 - 12:03

Mesmo funcionando, serviço de catraia registrou filas por volta da 7h30 (Foto: Rogério Soares/AT)

Um forte nevoeiro voltou a interromper o serviço de travessia de veículos e pedestres entre Santos e Guarujá/Vicente e Carvalho, administrado pela Desenvolvimento Rodoviário S/A (Dersa), na manhã desta quinta-feira (30). Na últimas semanas, o fenômeno tem sido recorrente, bem como as paralisações temporárias no trecho. O Canal do Porto também precisou ser fechado entre 4 e 10 horas.

A pausa na travessia de balsas e barcas teve início às 7h15 e só terminou pouco antes das 9 horas. Já o serviço de catraias não precisou ser interrompido. 

Serviço de catraias funcionou normalmente na manhã desta quinta-feira (30) (Foto: Rogério Soares/AT)

Fenômeno é comum

Na Baixada Santista, a falta de visibilidade por conta das 'nuvens' é comum nesta época do ano. De acordo com informações do climatologista Rodolfo Bonafim, da ONG Amigos da Água, o nevoeiro que presenciamos com frequência é comum em regiões litorâneas e diferente da neblina que os motoristas vivenciam nos trechos de Serra do SAI.

O nevoeiro marítimo ocorre por conta da temperatura da água do mar (superfície) ficar mais fria nesta época do ano. A diferença entre as temperaturas do ar, mais quente, e do mar, mais fria, condensa gotículas de água e forma o fenômeno, que pode atingir, inclusive, os bairros mais afastados da orla.

"Muitos pensam que nevoeiro é sinônimo de tempo ruim, mas na verdade ocorre o contrário. Quando o tempo está bom, estável, e não há chuvas ou ventos, o nevoeiro se forma. Quando a temperatura esquenta, ou há presença de rajadas de vento, o fenômeno se dissipa".

Veja Mais