Fique alerta ao risco de acidentes com crianças

Os pais devem ter o devem redobrar a atenção no período de férias

12/01/2018 - 08:44 - Atualizado em 12/01/2018 - 08:45

Cuidado com crianças em áreas da casa como a cozinha
deve ser redobrado (Foto: Divulgação)

A jornalista e fotógrafa Raquel Gomes, de 34 anos, tem todo o cuidado dentro de casa com os filhos Diogo, de 7, e Renato, de 3. Guarda facas, outros objetos cortantes e vidros na parte mais alta dos armários e procura deixar ao alcance das crianças apenas coisas que não ofereçam perigo.

“E eu sempre oriento sobre o que não pode mexer. Eletricidade ou ferro de passar roupa, por exemplo, eles não chegam perto. Porque sempre disse que não podia. Mas fico atenta. Ele chegam perto do fogão porque têm o hábito de cozinhar comigo, mas há toda uma preocupação para não mexerem nas coisas. Explico que é perigoso”, diz ela, que mora na Vila Valença, em São Vicente.

O cuidado com as crianças deve ser redobrado nas férias, quando ficam mais em casa, estão muito ativas e curiosas. No último dia 5, o bebê Lorenzo, de 1 ano, teve o rosto queimado num acidente doméstico em Itanhaém. Apoiou-se no fogão, e uma cafeteira virou em cima dele com café quente. Sofreu queimaduras no rosto e no tórax e está internado na Santa Casa. Ontem, permanecia no quarto em condição estável, sem previsão de alta.

Deixar piscinas com proteção, janelas com redes, tomadas fechadas e produtos perigosos, como de higiene e limpeza, fora de onde os pequenos alcancem é básico. Ainda assim, monitorar os passos deles é fundamental.

Primeiros socorros

O médico pediatra Cláudio França, coordenador do curso de Medicina da Universidade Metropolitana de Santos (Unimes), diz ser preciso muito cuidado com queimaduras, intoxicação e cerol em linha de pipa. “Nas queimaduras, sempre, primeiro lavar com água fria ou gelada, refrescar e higienizar a pele, proteger com pano limpo e levar ao pronto-socorro. Nunca pôr pasta de dente, café ou qualquer outra coisa”.

Em caso de ingestão de produtos químicos, o pediatra orienta a não dar nenhum alimento, nem leite. “Isso pode acelerar a absorção e ser mais grave. Deve-se levar imediatamente ao PS para fazer lavagem gástrica com carvão ativado”, diz ele, que também recomenda cuidado com brinquedos que soltam partes, como olhos de bichos de pelúcia.

Campanha

A ONG Criança Segura (www.criancasegura.org.br) lançou, no mês passado, uma campanha sobre prevenção de acidentes na infância. Até março, a organização lançará seis vídeos que abordam os diferentes tipos de acidentes que acontecem com as crianças, como afogamentos, queimaduras, quedas e acidentes de trânsito. A ação é patrocinada pela Brazil Foundation.

A partir do tema Um Olhar Muda Tudo, a campanha mostra como o olhar das crianças é mais criativo que o de um adulto – que, por ter mais experiência e noção do que pode representar um risco aos pequenos, deve estar sempre atento para evitar que se machuquem.

Baseado nos dados mais recentes do DataSUS, a ONG elaborou estatísticas de óbitos e acidentes. Confira:

* Óbitos (2015)

  • Trânsito: 1.389
  • Afogamento: 943
  • Sufocação: 810
  • Intoxicações: 64
  • Queimaduras: 221
  • Armas de fogo: 19
  • Quedas: 182
  • Outros: 257

* Hospitalizações (2016)

  • Trânsito: 12.288
  • Afogamento: 232
  • Sufocação: 470
  • Intoxicações: 3.213
  • Queimaduras: 21.390
  • Armas de fogo: 133
  • Quedas: 54.258
  • Outros: 25.593
Veja Mais