Extinta há quase dois séculos no Estado de São Paulo, espécie é redescoberta

Pato-mergulhão foi fotografado no Parque Estadual Serra do Mar, uma área de preservação

19/02/2018 - 18:45 - Atualizado em 19/02/2018 - 18:50

Há quase dois séculos, animal não era avistado no Estado de São Paulo (Foto: Fabiana Pereira/

Um registro fotográfico despretensioso e uma descoberta única no Parque Estadual Serra do Mar. Há 197 anos, a espécie Mergus octosetaceus, mais conhecida como pato-mergulhão, não era registrada no Estado de São Paulo e, inclusive, tinha sido dada como extinta entre 1940 e 1950. 

Quem visualizou a ave foi a vigilante do parque, Fabiana Pereira, que estava fazendo uma ronda de rotina com a máquina fotográfica, que sempre a acompanha em seus trabalhos.

Como o pato-mergulhão, até então desconhecido, chamou a atenção o clique foi feito. “Na hora pensei: parece um biguá. Olhando a foto, percebi que o bicho tinha um topete chique, mas não dei muita importância. Quatro meses se passaram, até que reconheci o pato-mergulhão numa reportagem da TV”.

Fabiana diz ter ficado muito contente com a descoberta. “Sou apaixonada pela natureza e esse achado me deixou muito feliz, porque mostra a importância do parque e do nosso trabalho na preservação das espécies”.

Pato-mergulhão 

É um dos patos mais raros do mundo e ameaçados das Américas. Adaptado a cursos hídricos de regiões montanhosas, ele vive em rios límpidos e caudalosos de altitude, principalmente em corredeiras, pousando em rochas e árvores caídas na água. 

O pato se alimenta de peixes e outros animais da fauna aquática. Instala seu ninho nas fendas de rochas e em ocos de árvores mortas, às margens dos rios. Possui cor verde-petróleo, principalmente no macho, pés vermelhos e asas com detalhes brancos.

É um animal extremamente sensível e pouco tolerante a impactos ao ambiente. Qualquer alteração hidrológica em seu habitat, como a expansão das atividades agropecuárias, a poluição e barramento de rios e a supressão de vegetação ciliar, podem inviabilizar sua sobrevivência.

Veja Mais