Exército realiza disparos reais com canhões e metralhadoras em Praia Grande

O treinamento do 2º Grupo de Artilharia Antiaérea, na Fortaleza do Itaipu, será entre 10 e 12 horas desta quarta-feira

25/09/2018 - 19:16 - Atualizado em 25/09/2018 - 19:16

Treinamento é realizado uma vez por ano, na Fortaleza de Itaipu (Divulgação/2º GAAAe)

O 2º Grupo de Artilharia Antiaérea (2º GAAAe) realiza um treinamento na Fortaleza de Itaipu, em Praia Grande. Um ensaio da atividade aconteceu nesta terça (25), mas será na quarta-feira (26), entre 10h e 12h, o principal dia do exercício, que conta com disparos reais em direção ao mar e acontece todos os anos. 

Diversos moradores da Cidade ouviram os tiros, cujo som foi comparado, por alguns, nas redes sociais, com trovoadas. Segundo o 2º GAAAe, a ação é segura e realizada em frente à unidade do Exército, com canhões, metralhadoras e mísseis.  

Durante os disparos, o perímetro será isolado para não colocar ninguém em perigo. Atividades no espaço aéreo e marítimo próximo à Fortaleza de Itaipu serão interrompidas devido ao treinamento com os sistemas de Artilharia Antiaérea.

De acordo com o 2º GAAAe, o vetor aéreo passou a ser um fator decisivo no combate e, portanto, é fundamental o aprimoramento da defesa antiaérea. 

O treinamento

Os militares utilizarão metralhadora .50,  canhão automático antiaéreo 40mm l/70, míssil Igla e Míssil RBS-70 para acertar um alvo conhecido como “biruta”. O objeto de alumínio é rebocado por um aeromodelo rádio controlado, de fabricação do próprio Exército Brasileiro. 

ver galeria
1/7

Conheça as armas

Metralhadora .50: Montada sobre reparo antiaéreo, a metralhadora.50 é considerada mundialmente como um importante meio de autodefesa antiaérea. 

Canhão automático antiaéreo 40mm l/70: É uma arma automática, de procedência sueca e de fabricação nacional, possui como características a sua cadência de 300 tiros por minuto e peso de 5 toneladas. 

Míssil Igla: O míssil russo IGLA - 9K38 chegou ao Brasil em 1994. Trata-se de um míssil portátil superfície-ar (SAM), que pode ser disparado para qualquer direção, pois sua ponta intra-vermelha detecta o calor do alvo para depois atingi-lo. 

Míssil RBS-70: É um míssil SAM, portátil, e de 15Kg. Ele é guiado a laser. Pode ser usado para a defesa de área, aeródromos, comboios ou  para complementar outros sistemas.

Veja Mais