Equipes tentam identificar ocupações irregulares na Vila Esperança

Operação integra o Programa Invasão Zero, lançado durante a manhã em Cubatão

18/01/2017 - 13:49 - Atualizado em 18/01/2017 - 14:00

Secretario de Meio Ambiente, Ricardo Salles (centro), acompanha a ação (Foto: Carlos Nogueira/A Tribuna)


Soldados da Polícia Militar Ambiental (PMA), com o apoio do Batalhão de Ações Especiais da PM, realizam, nesta tarde (18), operação saturação para coibir a construção de ocupações irregulares na região da Vila Esperança, em Cubatão. Esta é a segunda tentativa da ação, que foi frustrada pela manhã devido a tiros disparados contra as equipes. 

A ação integra o programa Invasão Zero, lançado durante a manhã na cidade pelo secretario de Meio Ambiente do Estado, Ricardo Salles. Trata-se de uma parceria com a Prefeitura de Cubatão para combater moradias  irregulares erguidas em áreas urbanas e protegidas com base nos modelos de trabalho já estabelecidos na região da Serra do Mar. 

O objetivo durante a manhã era fazer uma vistoria para avaliar as zonas de invasão. O resultado desse trabalho seria anunciado durante apresentação do programa pelo secretário. Quando três policiais militares ambientais entravam na comunidade, onde vivem 35 mil pessoas de acordo com a Administração Municipal, eles foram recebidos a tiros. 

Ação da equipe ambiental tem o apoio de oficiais do Baep  (Foto: Carlos Nogueira/A Tribuna)

O chefe da Pasta do Meio Ambiente no Estado determinou, então, que uma nova operação fosse iniciada ao meio-dia. Desta vez, ele também participou da ação, que teve o apoio de oficiais do Baep, a tropa elite da polícia militar na região. Segundo informações apuradas com a PM, não houve confronto e as equipes trabalham normalmente no local. 

Invasão Zero 

O programa foi lançado nesta manhã na presenta de políticos municipais e estaduais, além de autoridades do Meio Ambiente. O prefeito Ademário Oliveira assinou um decreto municipal, com o apoio do Estado, que cria um grupo de trabalho de combate a novas invasões em áreas de preservação ou que façam parte de programas habitacionais.

Anúncio da penalidade foi feito nesta manhã (18) em Cubatão (Foto: Carlos Nogueira/A Tribuna)

Veja Mais