Em menos de um ano, Peruíbe quebra contrato pela segunda vez

Estrela Maior não é mais responsável pelo transporte coletivo. Vans farão o serviço, por enquanto

14/04/2015 - 21:48 - Atualizado em 14/04/2015 - 21:56

Ônibus deixam de circular na Cidade já nesta quarta

A Prefeitura de Peruíbe esclareceu, na noite desta terça-feira (14), que rescindiu o contrato com a empresa Estrela Maior, que operava o transporte coletivo na Cidade. Por conta disso, a população contará com as vans do transporte alternativo ao longo do dia, até que uma nova empresa assuma provisoriamente o setor.

De acordo com Administração Municipal, o rompimento do contrato, em caráter emergencial e que já terminaria esta semana, se deve à grande quantidade de reclamações da população. 

''A prefeita (Ana Preto) vai cortar a empresa em definitivo'', informou a a assessoria de imprensa da Prefeitura,

Ainda conforme o Executivo, o transporte alternativo vai atender a população ao longo desta quarta-feira (15). ''Mas, até as 15 horas, uma nova empresa estará realizando o transporte'', informou a Prefeitura.

Para que esta definição ocorra, o Departamento Jurídico da Prefeitura discute, às 9 horas, qual será a empresa contratada emergencialmente para operar o transporte coletivo.

No dia 5 de maio, será aberta licitação em que quatro empresas disputam a concessão do serviço por um período de 10 anos.

A informação de que a população de Perúibe ficaria sem o transporte coletivo oficial foi divulgada na tarde desta terça-feira (14) pelo Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Santos e Região (Sindrod). 

Entenda o caso 

A Transportadora Turística Estrela Maior assumiu o transporte coletivo em julho do ano passado, em substituição ao serviço que antes era realizado pela Intersul. Na ocasião, a Administração Municipal informou que o contrato, de caráter emergencial, teria duração de 180 dias ou até que a licitação do transporte fosse concluída. 

A quebra de contrato com a Intersul ocorreu após trabalhadores inciarem uma greve geral no setor. Porém, segundo a Administração, a rescisão foi motivada pela desobediência de algumas cláusulas contratuais, como a idade da frota de ônibus e a manutenção das linhas dos itinerários. Por outro lado, a Intersul afirmou que a administração municipal não estava repassando a verba combinada havia três meses.  

A Estrela Maior opere em Peruíbe com 20 ônibus, transportando 20 mil passageiros por mês. A tarifa é de R$ 1,70 e a população reclama das condições precárias do serviço.

Segundo depoimentos de vários moradores, há ônibus sem assentos, com vidros quebrados, portas danificadas e que, muitas vezes, demoram mais de uma hora para passar em determinados pontos.

Veja Mais