Dois postos de combustível na região têm bombas lacradas após operação

Estabelecimentos ficam na Guilhermina, em Praia Grande e na Vila Santo Antônio, em Guarujá

10/08/2018 - 19:25 - Atualizado em 10/08/2018 - 19:30

Por irregularidades na compra e venda de combustíveis após a greve dos caminhoneiros, dois postos da Baixada Santista tiveram as bombas lacradas, nessa sexta-feira (10), pela Secretaria de Estado da Fazenda, durante a Operação Tanque Seco.

Ocorrida de 21 a 31 de maio, a paralisação dos caminhoneiros praticamente esgotou os estoques de etanol, gasolina e diesel dos estabelecimentos de combustíveis.

Com o monitoramento das operações dos postos a partir da retomada do abastecimento após a greve, no início de junho, a Secretaria de Estado da Fazenda viu suspeitas de fraude em alguns comércios.

“Os agentes verificaram que houve alguns estabelecimentos que não adquiriram combustível ou compraram muito pouco durante o mês de junho, mas tiveram um volume de venda para os consumidores significativa”, explica o inspetor fiscal estadual Edgar Kishida.

Essa diferença entre o pouco que o posto comprou e o muito que vendeu, segundo o agente, pode ser indício de aquisição de mercadoria sem nota fiscal, furtada, roubada ou fora de especificação ou adulteração volumétrica do combustível.

Realizada em 85 postos no Estado, a ação de sexta-feira teve o objetivo de recolher mais documentos e verificar in loco as condições dos estabelecimentos.

Por conta dos fortes indícios de ilegalidades, dois postos tiveram as inscrições estaduais suspensas e, por consequência, as bombas de combustíveis lacradas.

Um dos postos é o Centro Automotivo Tacaraa, na Guilhermina, em Praia Grande. O outro é o Auto Posto Jatiuca, na Vila Santo Antônio, em Guarujá.

A Reportagem ligou para telefones dos dois estabelecimentos na tarde de sexta-feira, mas não conseguiu contato com os responsáveis.

Outros dois postos, um em Guarujá e outro em Praia Grande, também haviam sido interditados preventivamente, mas, no decorrer do dia, apresentaram documentos demonstrando a regularidade de suas ações e tiveram as inscrições reativadas.

Conforme o fiscal, a apuração continuará e, se as fraudes forem comprovadas, os postos investigados poderão ter as atividades encerradas.

Veja Mais