Diminuição de frotas lota pontos de ônibus em Santos

Viação Piracicabana e BR Mobilidade atuam na cidade com menos veículos. Motivo é a falta de combustível

25/05/2018 - 09:39 - Atualizado em 25/05/2018 - 09:43

Dezenas de passageiros aguardavam por ônibus em ponto da Rua 7 de setembro (Foto: Carlos Nogueira/AT)

Com menos ônibus nas ruas e escassez de combustível nos postos da região, muitos dos pontos de parada de coletivos de Santos amanheceram lotados nesta sexta-feira (25). Tanto a demora para a chegada dos veículos quanto o provável aumento no número de passageiros têm relação com a greve dos caminhoneiros. A paralisação, que entrou no quinto dia, continua porque os motoristas não reconhecem o acordo que foi anunciado pelo governo na noite de quarta (24).

Em Santos, a Viação Piracicabana (responsável pelo transporte na Cidade) opera com 70% da frota total. A empresa alega dificuldade no abastecimento dos coletivos.

Ponto de ônibus na Praça da República, em Santos, estava lotado por volta das 8 horas (Foto: Carlos Nogueira/AT)

O Consórcio BR Mobilidade, responsável pelo transporte intermunicipal da Baixada Santista, e que opera com diversas linhas em Santos, também diminuiu sua frota nas ruas e mantém, nesta sexta, 60% dos coletivos nas ruas.

Em nota, a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) informou que está acompanhando a situação nas garagens, com a orientação de priorizar a operação nos horários de pico e nas linhas onde há maior número de passageiros transportados.

Outras cidades

Em Cubatão, a Viação Translíder reduziu a frota em 40% fora do horário de pico,  que compreende o horário das 9h às 16h. Já Guarujá, que foi a primeira cidade da região a reduzir da frota, mantém a medida, operando com 60% da capacidade.

A Jundiaí Transportadora Turística, responsável pelo transporte de Peruíbe, informou que no sábado (26) não haverá transporte público na Cidade em decorrência da falta de combustível. 

Veja Mais