Dia Mundial do Diabetes é celebrado com atividades gratuitas

A partir desta terça-feira, dia mundial para lembrar a doença, há várias atividades de controle e prevenção em Santos

14/11/2017 - 08:37 - Atualizado em 14/11/2017 - 08:37

Nesta terça-feira, 14 de novembro, é comemorado o Dia Mundial do Diabetes, data escolhida pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para chamar a atenção sobre a necessidade do controle e prevenção da doença que, apesar de poder ser evitada em 70% dos casos, atinge mais de 14,3 milhões de pessoas no Brasil – o 4º país em incidência – e mais de 400 milhões no mundo. 

Santos terá diversas atividades até o fim de semana e, quem for à Capital, poderá conferir até show em alusão à data. Na Santa Casa de Santos, nesta terça, haverá orientação gratuita das 9h às 17h, em posto em frente ao hospital. 

Das 9h às 14h, na tenda armada na Policlínica Conselheiro Nébias, que fica no n° 514, Encruzilhada, o público poderá aferir pressão, verificar a glicemia e receber orientações de saúde.

No fim de semana, a Cidade recebe uma programação especial da Sociedade Brasileira de Diabetes, em parceria com o Departamento de Endocrinologia da Associação Paulista de Medicina (APM) e apoio da Prefeitura. Das 10h às 15h de sábado, o Sesc, localizado na Rua Conselheiro Ribas, 136, Aparecida, concentrará atividades voltadas a adultos e crianças, com orientações nutricionais e comportamentais, além das atividades físicas.

Domingo, das 9h às 12h, a barraca de praia da APM (próxima ao canal 3) terá aferição de pressão e verificação de glicemia, além de aula de zumba das 10h às 11h, e de ioga e relaxamento, das 11h ao meio-dia. No mesmo dia, outro local para verificar a pressão e testar a glicemia é a Praia do Boqueirão, em frente à Avenida Conselheiro Nébias. Em caso de chuva, as atividades serão transferidas para o Sesc.

Brasil é o quarto do mundo

Só em Santos há 14 mil pacientes atendidos pelo programa Hiperdia (Programa de Acompanhamento de Hipertensos e Diabéticos) da Secretaria Municipal de Saúde. 

Márcio Krakauer, diretor da SBD, explica que desde 2015 o Brasil é o quarto do mundo em número de pessoas acometidas pelo problema. “Não sabemos exatamente o motivo, mas sabemos que a obesidade é muito grande, a genética, e os hábitos de vida nossos são fatores que contribuem”.

Segundo ele, 90% das pessoas com diabetes têm o tipo 2 da doença, que acomete mais adultos e idosos, de forma silenciosa. Mas há o tipo 1. 

“No tipo 1, os sintomas já mostram rapidamente o problema, mas no tipo 2, quando a pessoa percebe algum sintoma, como ir mais ao banheiro ou beber mais água, já está há pelo menos cinco anos com diabetes. Por isso, a partir de 40 anos quem tem familiares com diabete ou está acima do peso deve fazer anualmente o exame. Quem não tem fator de risco pode começar aos 45 ou 50 anos”. 

Na Capital

Nesta quarta-feira (15), às 20h, a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD) e Sociedade Brasileira de Endocrinologia promoverá no Tom Brasil (Rua Bragança Paulista, 1.281, bairro Santo Amaro, São Paulo), em São Paulo, um show pela causa, Receberá no palco Paula Toller, Guilherme Arantes, Paulo Miklos, Dado Villa Lobos, Maurício Manieri e a atriz Simone Soares.

Os ingressos custam R$ 30,00 e as vendas são no local ou pelo site. O show também será transmitido, ao vivo, pelo site da Sociedade Brasileira de Diabetes

Diogo Ayres Bianconi Wiggert, de 9 anos, tem
um canal no Youtube (Foto:Carlos Nogueira/AT)

Divulgação

Para mostrar que diabetes não é só assunto de adulto, Diogo Ayres Bianconi Wiggert, de 9 anos, chama a atenção para o tema. Ele tem um canal no YouTube, o Di de Diabetes, para ensinar outras crianças como ele e suas mães a lidar com o que ele chama de “condição”, não doença. 

“Ensino como aplica a caneta de insulina, ensino que não precisa ter medo da bomba de insulina. Acho que a gente precisa ensinar não só os pais, mas os pais a falarem para os filhos também, para que um dia todos fiquem sabendo melhor para se cuidar”, diz Diogo. 

A mãe, Viviane Bianconi, de 36 anos, jornalista, concorda. “O mês de novembro é dividido com o mês de prevenção ao câncer de próstata e isso desvirtua a causa. É preciso informação”.

A doença

O diabetes é uma doença crônica, na qual o corpo deixa de produzir ou não consegue empregar adequadamente a insulina que produz. A insulina é o hormônio responsável pelo controle da glicose (açúcar) no sangue.

Esse mal funcionamento pode provocar aumento da glicose (hiperglicemia) no sangue, o que pode, ao longo dos anos, causar uma série de problemas, desde cegueira até amputação de membros; ou hipoglicemia, que é a baixa taxa de açúcar no sangue – o que rapidamente pode levar o paciente a morte. 

Existem dois tipos da doença, o 2, que acomete a maioria dos pacientes, principalmente a partir dos 50 anos, e o 1, mais comum em crianças. 

Veja Mais